Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Dica INDIANA: A importância da suplementação vitamínica em tempos de pandemia

Atualmente vive-se em uma pandemia, caracterizada pelo Corona Virus. 

Frente esse cenário é importante nossa imunidade estar em índices desejados. 

Muitos são os fatores que podem influenciar esses  indices, como o sono, atividade física, fatores emocionais e alimentação.

Nossa alimentação diária, na maioria das vezes não supre a quantidade de vitaminas que precisamos. Sendo assim, destaca-se a importância do uso de suplementos alimentares.

Com o uso destes suplementos você garante a reposição de  Vitamina D, Vitamina E, Vitamina C, Selênio e Zinco, que são necessárias para auxiliar nosso sistema imune.

A Farmácia Indiana, conta com diferentes suplementos vitaminicos que garantem seu bem-estar, com preços e condições especiais para o pagamento.

Contamos com profissionais capacitados para lhe atender.

Visite nossa loja ou entre em contato pelo nosso whatsapp que entregamos também, no conforto de sua casa!

 

SE É PARA O SEU BEM, A INDIANA TEM!!!

Fixo e Whatsapp (38) 3521-1108

RUA CORONEL GENTIL FERNANDES, 60, CENTRO

Avalie este item
(0 votos)
Imposto de Renda 2021: O que mudou em relação a 2020?

Para este ano de 2021, dentre as mudanças, a principal é a declaração de recebimento do auxílio emergencial. Há também novos espaços para declaração de criptomoedas e a adesão da declaração pré-preenchida.

O Auxílio Emergencial foi considerado tributável pela Receita Federal e deve ser declarado caso o contribuinte precise fazer o preenchimento do IRPF por qualquer uma das regras de exigência.

Importante: Nem todo mundo que recebeu o auxilio terá que fazer a declaração de Imposto de Renda, somente se o recebimento do auxílio junto com outras rendas, como salários, somaram mais de R$ 22.847,76 em 2020. Além disso, quem recebeu e acumulou outras rendas acima deste valor, terá que devolver a maior parte do auxílio ao físico, por ele e seus dependentes.

Lembrando que “o valor que deverá ser devolvido para o Governo Federal engloba apenas as parcelas do Auxílio Emergencial (parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 - cota dupla, previstas na Lei 13.982/2020). Não é preciso devolver o valor da Extensão (Auxílio Emergencial Residual – parcelas de R$ 300 ou R$ 600 - cota dupla, previstas na MP 1.000/2020)”, informa a Receita. 

 

   Nos demais quesitos anuais temos como regras para declarar:  

•quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado.

•contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;

•quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;

•quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;

•quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;

•quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020;

•quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda;

•pessoas que receberam Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis.

 

Para que não tenha erros no preenchimento, ou dúvidas, procure seu contador, ele é o profissional correto para te atender. 

“Eu Hianne Barroso e minha equipe estamos à disposição.”

 

Avalie este item
(0 votos)
HLH  comemora junto aos seus clientes as posições de destaque no Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal

35 municípios assessorados pela empresa estão entre os 100 primeiros mais bem posicionados no estado de Minas Gerais.

O Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal publicado pelo Tesouro Nacional tem como objetivo avaliar a consistência das informações recebidas das prefeituras de todo Brasil por meio do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi) e fomentar a melhoria da qualidade da informação contábil e fiscal. O Ranking de 2020, que analisou os dados de 2019, apresentou o posicionamento dos Municípios da federação sob os recortes: visão nacional, ranking estadual e análise micro regional.

No ranking do Estado de Minas Gerais, dentre os 100 municípios melhor posicionados, 35 municípios são atendidos pela HLH Assessoria e Consultoria. São eles: Presidente Kubitschek, Fruta do Leite, Alvorada de Minas, Couto de Magalhães de Minas, Datas, Divisa Alegre, Catuti, Senador Modestino Gonçalves, Montezuma, Santa Fé de Minas, Materlândia, Novorizonte, Águas Vermelhas, Indaiabira, Aricanduva, São Gonçalo do Rio Preto, Felício dos Santos, Icaraí de Minas, Novo Cruzeiro, Mata Verde, Curral de Dentro, Frei Lagonegro, Augusto de Lima, Coração de Jesus, Mamonas, Jenipapo de Minas, Coluna, Berilo, Rio Vermelho, Capelinha, Virgem da Lapa, Padre Carvalho, Mário Campos, Engenheiro Navarro e Turmalina.

Este quantitativo expressivo de municípios clientes da empresa que estão bem posicionados no ranking demonstra a qualidade do serviço e eficiência de rotinas implantadas na HLH. Além disso, prova que a empresa consegue influenciar positivamente o dia a dia das prefeituras. “A HLH trabalha com muito foco e responsabilidade. Essas características contribuem para que as prefeituras inspirem novos comportamentos: sejam mais pontuais e trabalhem com qualidade e agilidade na transferência de informações corretas”, ressaltou o Diretor Presidente da HLH, Helbert Lopes de Macedo -  Betim.

O Diretor de Operações da HLH, Rogério Costa Maciel, entende que a participação do cliente, a dedicação da equipe envolvida e a eficácia dos processos da HLH foram fundamentais para o sucesso no ranking. “O resultado obtido pelos nossos clientes no Ranking de Qualidade da Informação Contábil e Fiscal da Secretaria do Tesouro Nacional é um reconhecimento da qualidade do trabalho prestado pela HLH. Focamos no resultado através de implantação de rotinas eficientes na execução das tarefas, incentivando a busca da constante melhoria nos procedimentos aplicados, além da valorização do trabalho prestado pelos colaboradores envolvidos e fortalecimento da parceria entre as partes”, disse.

Para o Diretor Jurídico e de Tecnologia da Informação, Luiz Carlos Alves de Oliveira, o sucesso no ranking também vem da disciplina da empresa para se adequar às constantes mudanças nos cenários impostos pela contabilidade pública e também na excelência dos softwares próprios que acompanham a rotina das prefeituras. “Essas rotinas são descentralizadas e integradas ao setor de contabilidade com contabilização, em tempo real, de todos os fatos contábeis produzidos pela administração. Para isso, contamos com sistemas informatizados próprios, em constante evolução”, argumentou. Carlos ressaltou também que “nada disso seria possível se a HLH não contasse com clientes organizados e bem-intencionados”.

Embora a empresa esteja satisfeita com os números, entende que este ranking provou que é possível ir além. “A HLH possui um software de qualidade incontestável, conta com profissionais de suporte bem treinados e um consultor eficiente e com condições de executar, com segurança, qualquer operação. Por este motivo, esperávamos sim por uma boa colocação, mas sempre queremos mais. Precisamos de mais e vamos ter, se Deus quiser”, afirmou Betim.

 

HLH faz entrega de Placas e Certificados de Reconhecimento aos prefeitos e equipes das Prefeituras melhores posicionados no Ranking

 

A HLH parabenizou os seus clientes melhor posicionados no ranking, porém, devido à pandemia, realizou apenas um ato presencial de congratulação no município de Presidente Kubitschek, o qual figurou em posição de grande destaque como 1º lugar no ranking da microrregião de Diamantina e 9º lugar no ranking do estado de Minas Gerais.

No dia 12 de março, a empresa entregou a placa de congratulações ao prefeito municipal e certificados de reconhecimento às equipes dos departamentos da prefeitura de Presidente Kubitschek.

O Prefeito Lauro Oliveira provou segurança e satisfação ao falar do desempenho do município e da assessoria prestada pela HLH. “Desde 2005, sob a consultoria da HLH, temos todas as nossas prestações de contas aprovadas, sem ressalvas. É motivo de muita satisfação e o mérito vem mais da HLH do que da própria estrutura administrativa da prefeitura. Obviamente, os nossos servidores são responsáveis e trabalham também sofrendo cobrança, mas sem o suporte desta empresa não estaríamos tão bem colocados no ranking. Creio que essa posição não é por acaso”, ressaltou.

“Essa posição no ranking também mostra uma assiduidade no trato da questão contábil, do planejamento do dia a dia do município e também dos servidores que estão bem treinados e disciplinados para a execução das suas tarefas”, completou o Diretor Presidente da HLH.

O consultor de operações da empresa, João Antônio Lisboa, também esteve presente no ato e colocou em pauta as peculiaridades dos municípios e o comportamento da empresa no trato com cada um deles. “A HLH tem um método de trabalho e é importante destacar que o tratamento personalizado colabora para que tenhamos mais êxito. Cada prefeitura tem a sua característica e especialmente na prefeitura de Presidente Kubitschek, trabalhamos com uma equipe muito disciplinada e com lideranças muito bem estruturadas”.

Perguntado sobre um conselho aos prefeitos que querem se destacar no ranking e melhorar a sua atuação junto aos munícipios, o prefeito Lauro afirmou que considera o investimento em qualificação profissional, boas estruturas de trabalho e integridade fundamentais. Além disso, confessou que isso “não é do dia para a noite”. Para ele, também é “importante o investimento em tecnologia e suporte. Montar a equipe e trabalhar com a meta de não refazer trabalhos é primordial”.

Na oportunidade, Lauro relembrou outro momento histórico com a HLH, onde o município de Presidente Kubitschek ocupou a 10ª posição no Prêmio CNM de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão – IRFS, em 2006. O prefeito finalizou o encontro orgulhoso e com a seguinte ressalva. “Todas essas posições não foram criadas e tem embasamentos. São números. São fatos. É incontestável”.

 

Entenda como é apurado o ranking

Segundo informações disponíveis no site do Tesouro Nacional, são quatro as dimensões de avaliação analisadas para apuração do Ranking da Qualidade da Informação Contábil e Fiscal:

·         Dimensão 1 – Gestão da Informação: verifica o comportamento dos entes no envio das informações. Exemplo: envio de todas as declarações, prazo e quantidade de retificações.

·         Dimensão 2 – Contábil: avalia os dados contábeis recebidos, adequação a regras do Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP), consistência entre os demonstrativos, etc.

·         Dimensão 3 – Fiscal: avalia os dados fiscais recebidos, adequação a regras do Manifesto de Documentos Fiscais (MDF), consistência entre os demonstrativos, etc.

·         Dimensão 4 – Contábil x Fiscal: efetua o cruzamento entre os dados contábeis e fiscais recebidos.

De forma simplificada, para que o município esteja bem posicionado no ranking, é necessário enviar todas as declarações no prazo legal, evitar retificar os dados e assegurar-se que os valores foram informados corretamente.

Avalie este item
(0 votos)
Descoberta em BH nova variante do coronavírus tem combinação de 18 mutações nunca antes descritas no Sars-CoV-2

 

Nova cepa detectada por cientistas da UFMG tem combinação de 18 mutações nunca antes descritas no Sars-Cov-2 

 

Uma nova e potencialmente perigosa variante do coronavírus foi detectada por cientistas em Belo Horizonte. A nova cepa tem uma combinação de 18 mutações nunca anteriormente descritas no Sars-CoV-2. Entre essas mutações estão algumas compartilhadas com as variantes brasileiras P1 (originada em Manaus) e P2 (Rio de Janeiro), com a sul-africana B.1.1.351 e com a britânica B.1.1.7. — todas associadas a uma maior transmissão.

O risco de agravamento da Covid-19 também é investigado. Conhecidas por siglas complicadas, as novas variantes de Sars-CoV-2 preocupam, dentre outros motivos, porque se replicam muito mais depressa do que os vírus que causaram a primeira onda da pandemia, em 2020. As variantes P1, P2 e B.1.1.7 têm as mutações E484K e N501Y. Elas não só facilitam o contágio quanto podem ajudar o coronavírus a escapar do sistema imunológico.

Tudo indica que a revelada agora em Minas Gerais tenha a mesma capacidade, pois dispõe de arsenal genético para tanto.

Cientistas já haviam alertado que numa transmissão sem controle como a do Brasil era provável que emergissem mais variantes do vírus, dando mais força à pandemia. É um ciclo vicioso. Quanto mais variantes, maior o risco de transmissão e também de que o vírus consiga escapar das vacinas.

Fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade/coronavirus/descoberta-em-bh-nova-variante-do-coronavirus-24959722?utm_source=globo.com&utm_medium=oglobo?utm_source=globo.com&utm_medium=oglobo 

Avalie este item
(0 votos)
Minas confirma fim definitivo do toque de recolher e permite reuniões familiares

Medidas que haviam sido impostas durante a “onda roxa” foram suspensas após acordo com o Tribunal de Justiça 

 

O toque de recolher em Minas Gerais, que havia sido determinado no dia 17 de março para conter a aceleração da pandemia, está definitivamente interrompido. Desde a última segunda-feira (5), após ação e acordo judicial, a medida restritiva já estava suspensa em todo o território.

Agora, o Estado confirmou que os moradores dos 853 municípios não são mais obrigados a permanecer dentro de casa. Com isso, a circulação nas ruas das 20h às 5h está liberada. Além disso, o governo de Minas informou que as reuniões familiares, que também estavam proibidas na "onda roxa" do Minas Consciente, foram autorizadas. 

A decisão foi tomada nesta quarta-feira (7) pelo Comitê Extraordinário Covid-19. A suspensão atende a um acordo judicial feito pelo Governo de Minas, após o deputado estadual Bruno Engler questionar a constitucionalidade das medidas. Mas, apesar do fim da proibição, o governador Romeu Zema (Novo) reitera que o Estado desaconselha qualquer tipo de aglomeração ou circulação desnecessária durante a pandemia. 

“Essas medidas não serão mais obrigatórias, mas é essencial que todos façam a sua parte para conseguirmos reduzir a propagação do vírus Precisamos que a população mantenha todos os cuidados, use máscara e evite aglomerações para conseguirmos sair disso o mais rápido possível”, destacou. Nesta quarta-feira, Minas bateu o recorde de mortes, com 508 óbitos em um intervalo de 24 horas.
Apesar do afrouxamento nas medidas restritivas, as demais deliberações, como o fechamento do comércio não essencial, continuam valendo para todas as cidades que seguem na "onda roxa".

Fonte: https://www.otempo.com.br/cidades/minas-confirma-fim-definitivo-do-toque-de-recolher-e-permite-reunioes-familiares-1.2469250# 

Avalie este item
(0 votos)
REGULARIZE chega ao distrito de Contrato com projeto de Regularização Fundiária

A equipe da REGULARIZE está fechada para o projeto de Regularização Fundiária do Distrito de Contrato. Hoje ocorreu uma reunião de nivelamento com diversos profissionais, dentre eles o topógrafo Nacip Carlos e seu assistente Clebson, engenheira civil, Greyciele, titular do Cartório de Notas, Adriana e os advogados Lucas e Layla. A empresa conta com profissionais competentes e experientes em Regularização Fundiária. 

A partir da próxima segunda-feira, dia 12, engenheiros e topógrafos estarão em campo fazendo o levantamento dos imóveis do Distrito mais desenvolvido de Itamarandiba. Portanto, você morador do Contrato, fique de portas abertas. 

Se você é morador do Contrato, não perca essa oportunidade!

Informações: 38 992130118

REGULARIZE IMÓVEIS

Pagina 2 de 173

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da Região