Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Está em andamento a Campanha de Recuperação de Crédito em Itamarandiba promovida pela ACIAI/CDL

...

Agora clientes que tenham interesse em limpar seu nome perante o comércio local, têm a oportunidade de fazê-lo.

A ACIAI/CDL promove na cidade a Campanha de Recuperação de Crédito. A ação tem como um dos principais objetivos, fazer com que os clientes inadimplentes renegociem suas dívidas e fiquem com os nomes limpos no mercado e por sua vez o comerciante facilite a renegociação e receba pelo produto que vendeu.

Muitas pessoas estão procurando o próprio comercio e regularizando suas pendências, com descontos especiais que cabem no bolso.   

Corra agora e renegocie suas dívidas e pague com até 50% de desconto. A oportunidade para quem gosta de andar com o nome limpo, mas estava sem condições de cumprir com os compromissos é agora.

 

Avalie este item
(0 votos)

Os dentes são responsáveis pela mastigação dos alimentos, pela articulação de palavras e, é principalmente um fator determinante na estética. Portanto, os dentes tornam-se estruturas primordiais no organismo. No entanto, toda essa funcionalidade do órgão bucal pode ser comprometida se houver má posição dentária.

Os dentes mal posicionados ou ¨tortos¨ podem provocar dificuldade para mastigar e engolir os alimentos, alteração a fala e dicção, favorece a respiração pela boca e, consequentemente gera falta de saliva, além de serem mais suscetíveis a cáries e comprometerem a autoestima (estética). Desalinhados, os dentes apinhados (tortos) não trituram totalmente os alimentos, o que dificulta engolir e digerir. Também, o alimento pouco comprimido não desliza com facilidade pela boca massageando as gengivas, isso resulta em gengivas sangrentas e hipertrofias (volume aumentado).

Os dentes mal posicionados provocam males como, por exemplo, a alteração da fonética, já que a má posição dentária interfere na posição da língua. Um outro mal gerado pelos dentes tortos é o favorecimento da respiração bucal, que causa muitos danos à saúde, como aumento do índice de cáries, acarreta irritação na gengiva, traz, com o tempo, mudanças no posicionamento da língua, deglutição atípica, entre outros. Esta anomalia além de fugir do padrão traz outros problemas, como gengiva, língua e bochechas irritadas, devido à falta de saliva (boca seca) e mau hálito.

Hoje, além dos males para a saúde, a má posição dentária compromete a estética, e em uma sociedade moderna, em que a busca pela beleza perfeita é essencial, a autoestima pode ser afetada pelos famosos dentes encavalados. Entretanto, esta é uma anomalia que pode ser corrigida. Existem diferentes técnicas que levam a resultados satisfatórios, que vão desde o tratamento ortodôntico (uso de aparelhos fixos ou móveis) até cirurgias de correção chamadas de ortognáticas, que reposicionam os maxilares.

A má oclusão dental é resultado de vários fatores, como herança genética, em que a criança herda o tamanho dos dentes do pai (grandes) e o tamanho dos maxilares da mãe (pequeno), favorecendo a má oclusão pelo pouco espaço nos ossos para os dentes grandes. A presença de hábitos bucais também são fatores determinantes, como chupar dedo, empurrar a língua entre os dentes, chupetas, entre outros. Existem inúmeras causas para os dentes tortos. Todavia, o importante é procurar um dentista para identificar a causa e proceder com o tratamento adequado.

Avalie este item
(0 votos)

Casamento no dicionário Aurélio significa contrato de união ou vínculo entre duas pessoas que institui deveres conjugais. O Código Civil, por sua vez, prevê que o casamento estabelece comunhão plena de vida, com base na igualdade de direitos e deveres dos cônjuges. O casamento civil é provado através da Certidão de Casamento, que goza de presunção jurídica de veracidade do ato e constitui prova de sua celebração.

Culturalmente, o casamento representa a base da família e recebe proteção especial do Estado. É revestido de formalidades, contudo é no regime matrimonial de bens que se encontram os principais efeitos jurídicos, haja vista regulamentar as relações patrimoniais decorrentes de tal sociedade conjugal. O Código Civil Brasileiro estabeleceu quatro espécies de regime de bens, quais sejam a Comunhão Parcial de Bens, Comunhão Universal de Bens, Separação Total de Bens e Participação Final dos Aquestos.

A COMUNHÃO PARCIAL DE BENS é o regime mais comum nos dias atuais, principalmente, pela questão econômica, pois os demais regimes são escolhidos através de um pacto antenupcial, sendo este um ato formal realizado no Cartório de Notas e que, em regra, tem um custo. Este regime estabelece que todos os bens adquiridos após a data do casamento serão comuns ao casal. Assim, todos os bens adquiridos por cada um, individualmente, antes da data do casamento permanecem de propriedade individual, incluindo, por exemplo, uma possível herança e, já, todos os bens adquiridos pelo esforço comum, em outras palavras, durante o casamento, fazem parte da meação.

A COMUNHÃO UNIVERSAL DE BENS, por sua vez, estabelece que todos os bens, sendo estes atuais e futuros, de ambos os cônjuges serão comuns ao casal. Logo, quem pretende se casar neste tipo de regime, é necessário que compareça a um tabelionato de notas e faça uma escritura de pacto antenupcial, antes da realização do casamento em cartório.

O regime de Bens denominado SEPARAÇÃO TOTAL DE BENS consiste na individualização dos bens, antes e durante o casamento. Trata-se de um regime em que os bens atuais e futuros de ambos os cônjuges permanecerão sempre de propriedade individual, ou seja, de cada um, sem comunicação. Vale lembrar que para dar entrada ao processo de habilitação de casamento civil com este tipo de regime, é necessário que o casal compareça a um tabelionato de notas e faça uma escritura de pacto antenupcial. Cumpre dizer ainda, que este regime é obrigatório aos noivos maiores de 70 (setenta) anos e aos menores de 16 (dezesseis).

A PARTICIPAÇÃO FINAL DOS AQUESTOS trata-se de um regime de bens em que os bens que os cônjuges possuíam antes do casamento e aqueles que adquiriram após, permanecem próprios de cada um, como se fosse uma separação total de bens. Entretanto, se houver a dissolução do casamento, isto é, caso ocorra o divórcio ou o óbito de um dos cônjuges, os bens que foram adquiridos na constância do casamento serão partilhados em comum. Trata-se, portanto, de um regime de bens misto, onde cada cônjuge possui seu próprio patrimônio, ou seja, os bens são incomunicáveis durante o casamento, mas tornam-se comuns no momento de sua dissolução (fim do casamento).

Cumpre dizer que há a possibilidade de alteração do regime de bens durante a vigência do casamento, entretanto tal alteração deve ser mediante autorização judicial, requerida por ambos os cônjuges e ainda ser de forma motivada, isto é, fundamentada. Assim o casal insatisfeito com o seu atual regime de bens, poderá alterá-lo, a fim de adequar à sua realidade e desde que não traga prejuízo a terceiros.

Aconselho a todos os leitores interessados neste assunto que procurem esclarecer suas dúvidas e, caso necessário, procurem um advogado que passe segurança e convicção sobre a questão. No mais, agradeço imensamente a oportunidade e o espaço que me foram concedidos.

Por: Sabrina Brunely

Avalie este item
(0 votos)
Consultório Odontológico Karine Chaves completa 10 anos de serviços prestados em Itamarandiba

O Consultório Odontológico Karine Chaves está em atuação em Itamarandiba desde 2016, completando 10 anos de prestação de serviço à sociedade, com excelência em saúde bucal. Tal excelência tem sido reconhecida pela população, reconhecimento demonstrado pelos 10 prêmios recebidos como melhores do ano.

O consultório tem evoluído a cada dia, sempre buscando melhor atender aos seus clientes, e hoje tornou-se uma clínica com diversos especialistas, como Karine Chaves (especialista em implantes e prótese), Débora Vieira Vaz (especialista em canais), Marcos Vinícius (especialista em ortodontia- aparelhos fixos e móveis), e Luiz Augusto e Jéssica Camille (clínica geral).

 
Avalie este item
(0 votos)

...

Na tarde desta segunda-feira, 26 de setembro, por volta das 15h30min, ocorreu uma chuva de granizo em Itamarandiba.

Com o tempo bastante abafado e o céu escuro, pegou as pessoas de surpresa. Moradores tiveram que retirar e cobrir seus veículos o mais rápido possível para não danificarem com as pedras de gelo, telhados foram danificados e fios da rede elétrica também foram afetados.

Após a chuva, a cidade ficou sem energia elétrica, parte da cidade teve o serviço restabelecido. As operadoras de telefonia celular também ficaram afetadas, mas voltaram rapidamente.

Granizo (ou saraiva) é a forma de precipitação que consiste na queda de pedaços irregulares de gelo, comumente chamados de pedras de granizo. Essas pedras, na Terra, são compostas por água no estado sólido e medem entre 5 e 200 mm de diâmetro, sendo as pedras maiores provenientes de tempestades mais severas. A queda de glóbulos ou pedaços de gelo que têm entre 5 e 50 mm ou mais de diâmetro é denominada saraiva, sendo que este termo também é utilizado por muitos institutos meteorológicos para se referir a qualquer tempestade com queda de gelo. 

Avalie este item
(0 votos)

Na manhã deste domingo, 25 de setembro, a cidade de Itamarandiba recebeu uma carreta que transportava os equipamentos da subestação de energia. A noite ela já se encontrava na cidade, mas a travessia pelas ruas da cidade foi realizada pela manhã.

Para acompanhar a chegada e receber a subestação estavam presentes o Prefeito de Itamarandiba, Erildo do Espirito Santos Gomes, secretários municipais, funcionários da CEMIG e populares.  

A subestação será responsável pela distribuição da energia elétrica. Antes de chegar às casas, a eletricidade percorre um sistema de transmissão que começa nas usinas e passa pela estação, onde equipamento chamado transformador faz o aumento ou a diminuição da tensão.

Quando elevam a tensão elétrica, o transformador evita a perda excessiva de energia ao longo do percurso. Quando rebaixam a tensão, já nos centros urbanos, permite a distribuição da energia pela cidade. Funciona, deste modo, como ponto de entrega de energia para os consumidores.

A previsão para a conclusão da obra estava previsto para o início de 2017, mas segundo informações a obra pode ser concluída no final de outubro desde ano, caso não haja imprevistos com as chuvas.

Com isso a chegada da subestação de energia é um marco histórico que será lembrado como um benefício que certamente propiciará a vinda de novos empreendimentos no Município.

Vale ressaltar que o transformador tem uma potência de 15 mva, anteriormente a cidade de Itamarandiba era atendida pela subestação da cidade de Capelinha, agora com a mudança da rede, Itamarandiba passa a ser praticamente uma central de distribuição para todo região. 

 

 

 

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da Região