Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Dr. Sebastião Gusmão: VACINA COVID-19

Atualmente assistimos ao recrudescimento da pandemia Covid-19. Felizmente a ciência, em esforço gigantesco e tempo recorde, criou a mais eficaz arma para combater esta pandemia: a vacina.

As vacinas são produtos biológicos que mimetizam a reação imune fisiológica, oferecendo ao sistema imunológico humano a provocação necessária para que se desenvolva a imunidade sem que o indivíduo tenha que se expor aos riscos da infecção natural. São constituídas por vírus ou bactérias, vivos ou mortos, ou seus derivados. Elas estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos (proteínas que atuam na defesa do organismo). Esses anticorpos permanecem no organismo e evitam que a doença ocorra no futuro, por meio da memória imunológica. A isto denominamos imunidade. Os anticorpos realizam uma espécie de blindagem do organismo contra as doenças.

A primeira vacina foi desenvolvida há mais de 200 anos. A vacinação no Brasil iniciou-se em 1904, quando Oswaldo Cruz, diante de um surto de varíola, iniciou campanha de imunização, na tentativa de buscar imunizar toda a população. Muitas doenças altamente contagiosas já foram praticamente erradicadas pela vacinação, como a paralisia infantil, difteria, tétano, sarampo, caxumba e rubéola. No entanto, a falta de vacinação faz com que algumas doenças voltem a circular, como é o caso do sarampo.

As vacinas são seguras e causam poucas e leves reações adversas. É a principal forma de prevenção de várias doenças. Elas não protegem apenas o indivíduo que foi vacinado (imunizado), mas toda a comunidade, pois o indivíduo, ao não contrair a doença, também não se torna vetor da mesma, transmitindo-a aos demais membros da comunidade. Daí a importância de conscientizar a todos quanto à necessidade da vacinação universal. Vacinar é proteger a própria vida e a vida dos demais membros da comunidade. Quanto maior for o número de pessoas de uma comunidade vacinadas, menor é a possibilidade de uma delas (vacinada ou não) ficar doente.

Já se negou a pandemia com consequente perda evitável de várias vidas. Negar a vacina seria um segundo atentado contra a vida. É muito melhor e mais fácil prevenir uma doença do que tratá-la. Não existe um tratamento específico e eficaz para a Covid-19, sendo a prevenção (vacinação) o mais eficaz para combater esta doença.

As vacinas contra o Coronavirus foram desenvolvidas segundo padrões internacionais e avaliadas por instituições de controle confiáveis. No atual mundo conectado em rede todos têm voz. Por um lado isso é bom, mas tem o inconveniente de dar voz a quem não tem condições de opinar sobre determinado assunto ou tem interesse em produzir falsa informação. Quem tem condições de opinar sobre vacina são os médicos e cientistas que estudam infecções e imunidade. Eu não trabalho nestas áreas, mas tudo aqui relatado tem origem na Organização Mundial de Saúde e em publicações científicas de impacto e respeitadas internacionalmente.

Concomitantemente à pandemia Covid-19 somos acometidos também pela pandemia das noticias falsas (fake news) e opiniões falsas. Por tal motivo, parece apropriado passar à população informações científicas sobre as vacinas. A verdade última parece inacessível ao homem, mas a ciência é que nos oferece o de mais próximo da verdade para compreender e agir sobre a natureza. Apesar de estarmos sob um governo negacionista e termos um Ministério da Saúde incompetente frente a pandemia, devemos confiar na ciência e incentivar a todos para se vacinarem. A vacina é uma das maiores conquistas da ciência, sendo o meio mais seguro e eficaz de prevenir doenças infectocontagiosas.

Avalie este item
(0 votos)
Itamarandiba está preparada para início da vacinação contra a Covid-19

A Prefeitura de Itamarandiba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde / setor Vigilância em Saúde, desde o ano passado tem empenhado na elaboração do Plano de Contingência para a vacinação contra a Covid-19 no município.

Coordenado pela equipe de imunização da Vigilância em Saúde, o plano com as medidas preparativas foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde em setembro de 2020 e tão logo encaminhado à Gerência Regional de Saúde de Diamantina (GRS/Diamantina).

De acordo com a coordenadora da imunização, Geilsa Lopes, e coordenadora da vigilância em saúde, Luciana Piovezan, no Plano de Contingência fora incorporado ações como: implantação de salas de vacina nas 11 unidades de saúde existentes no município itamarandibano, aquisição de caixas térmicas e gelox para todos estes espaços, reuniões com coordenadoras dos postos de saúde para atualização de informações, designação de veículo exclusivo para transporte de vacinas (Diamantina – Itamarandiba) e aquisição, com recurso próprio, de seringas e agulhas para vacinação. “A equipe da saúde de Itamarandiba tem trabalhado incansavelmente para que o município esteja preparado para receber as vacinas. Lembrando que a imunização será realizada respeitando cronograma estabelecido pelo Ministério da Saúde.”, diz Geilsa Lopes.

Já Luciana Piovezan ressaltou que além da elaboração das ações, membros da equipe da saúde itamarandibana participaram, na primeira quinzena de janeiro, de reuniões com autoridades da saúde para debaterem sobre temas relevantes a essa fase de combate ao novo coronavírus; dentre os assuntos discutidos estavam: registro de informações e o acréscimo da população ao serviço de saúde, sistema para registro das doses aplicadas na Campanha contra Covid-19, bem como o fluxograma de como ocorrerá a vacinação no município de Itamarandiba.

A Secretaria Municipal de Saúde estima que em Itamarandiba cerca de 5.000 pessoas serão imunizadas na primeira fase da Campanha de vacinação contra a COVID-19; elas são integrantes dos grupos prioritários como: trabalhadores da área da saúde, idosos acima de 65 anos e asilados. 

Vale destacar que o Ministério da Saúde começou a distribuição da vacina aos Estados na data de hoje, 18/01. Ao recebê-las o Governo de Minas Gerais encaminhará às regionais da saúde e estas, por sua vez, entregará aos municípios. Sendo assim, a logística de distribuição para Itamarandiba será informada tão logo se confirme o dia e horário que a vacina chegará na Superintendência Regional da Saúde de Diamantina.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Itamarandiba

Avalie este item
(0 votos)
Anvisa aprova uso emergencial de vacina de Oxford e da Coronavac

Pedidos de Butantan e Fiocruz são referentes a 8 milhões de doses importadas. Relatora frisou que não há alternativa terapêutica para Covid-19. Butantan deve assinar termo de compromisso

 

Por unanimidade, a diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberou, com ressalvas, neste domingo (17), o uso emergencial das vacinas de Oxford/AstraZeneca e da Coronavac. Com a decisão, as vacinas poderão agora ser aplicadas na população brasileira.

Para a liberação do uso emergencial dos imunizantes eram necessários três votos dos cinco possíveis na diretoria da Anvisa. Antônio Barra Torres, Cristiane Rose Jourdan Gomes, Alex Machado Campos, Romison Rodrigues Mota e Meiruze Freitas, relatora da solicitação, deram parecer favorável.

A diretora da Anvisa Meiruze Freitas, relatora dos pedidos de uso emergencial das vacinas, foi a primeira a votar neste domingo, e deu parecer favorável à aprovação do uso emergencial temporário dos imunizantes. Ela foi seguida, então, pelos seus colegas, inclusive o diretor-presidente da agência, Antônio Barra Torres, que fechou a votação.

Os votos seguiram as recomendações de três áreas técnicas da Anvisa: a Gerência-Geral de Medicamentos, a Coordenação de Inspeção e Fiscalização de Insumos Farmacêuticos e a Gerência-Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária.

Em suas recomendações, as áreas técnicas afirmam que aprovaram o uso, mas que será preciso acompanhar a evolução das duas vacinas. Fonte: CNNBrasil com alterações 

Avalie este item
(0 votos)
Câmara Municipal de Itamarandiba comunica suspensão da aplicação das provas do Concurso Público

Diante do atual cenário da pandemia do Covid-19, a Câmara Municipal por meio da portaria de nº009/2020, resolveu suspender por tempo indeterminado, o concurso público para provimento de vagas no quadro da Câmara Municipal.

Os motivos para suspensão do concurso se baseiam na necessidade de medidas de prevenção de disseminação da doença e preservação da saúde da população itamarandibana.

O concurso possui um elevado numero de candidatos inscritos, o que inevitavelmente geraria aglomeração de pessoas, tendo a comissão organizadora entendido pela necessidade de aguardar um momento mais oportuno para garantir a segurança de todos.

Diante disso, o Presidente da Câmara Municipal de Itamarandiba vem a público pedir desculpas pelo inconveniente, pois sabe que muitos estão se esforçando e dedicando para a realização da prova. No entanto espera a compreensão da população tendo em vista que os fundamentos para tal decisão são necessários e fundamentais neste cenário de pandemia.

Por fim, esclarecemos que aqueles que não possuírem mais o desejo de fazer a prova podem e devem pedir a restituição da taxa de inscrição. O candidato possui o prazo de 30 (trinta) dias a contar da publicação da portaria e através do site: https://www.exameconsultores.com.br/v3/ ele poderá preencher o formulário de restituição de taxa da inscrição.

Todas as informações necessárias estão previstas no capitulo VII do edital do concurso.

Avalie este item
(0 votos)
Prefeitura de Itamarandiba comunica suspensão da aplicação das provas do Concurso Público

A Prefeitura Municipal de Itamarandiba-MG vem a público informar que, em razão da pandemia de Covid-19, foi suspensa a aplicação das provas do Edital de Concurso Público nº 001/2020 - Prefeitura Municipal de Itamarandiba/MG. As provas seriam aplicadas no dia 31 de janeiro de 2021. 

Oportunamente uma nova data de realização das provas será definida, sempre visando a maior biossegurança a todos, ao passo que todas as formalidades para a publicidade da suspensão do certame seguem encaminhadas pela Prefeitura Municipal e pela banca examinadora do Concurso.

O Decreto 4780/2021 que discorre sobre a suspensão por prazo indeterminado do Concurso Público 001/2020 da Prefeitura itamarandibana pode ser visualizado e ou baixado acessando o link: https://drive.google.com/file/d/1U_klDeycmvAZfCvyy8NwGmVbZgQ_ta8_/view?usp=sharing

 

Itamarandiba/MG, 12 de janeiro de 2021

 

Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Avalie este item
(0 votos)
Produtores de abacaxi comemoram recorde na produção da fruta no município de Itamarandiba

Itamarandiba deverá colher mais de mil toneladas de abacaxis na safra 2020/2021, sendo aproximadamente 600 toneladas a mais na comparação com a temporada de 2019/2020. A colheita, iniciada em novembro passado, vai até o final do mês de março. A expectativa é de que seja colhidos cerca de 800 mil frutos neste período.

O crescimento na produção e na qualidade do fruto são motivos de muita comemoração por parte dos fruticultores itamarandibanos, visto que esta é uma safra recorde. Além disso, na primeira semana do ano o preço do abacaxi teve aumento significativo na Central de Abastecimento de Minas Gerais (CEASA/MINAS). A dúzia da fruta chegou a ser comercializada a R$ 80,00.    

A região de Areião, nas proximidades do distrito de Contrato, é uma das principais produtoras de abacaxi no município de Itamarandiba; é de lá que no último final de semana (09 e 10 de janeiro) cerca de 70 toneladas da fruta foram colhidas e transportadas para a CEASA. Natural da localidade e um dos pioneiros na produção de abacaxi no município, o fruticultor Pedro Francisco Rodrigues Pinto, que possui 04 hectares coberto com o plantio da fruta, viu sua produção triplicar na última safra. Ele argumenta que esse aumento se deve ao preço atrativo e ao controle da doença fusariose. “Ficamos uns 15 anos sem fazer o cultivo do abacaxi. Esse tempo foi determinante para que se diminuísse a infestação pela fusariose. Tivemos na Prefeitura e EMATER parcerias de orientação e combate; com a baixa produção abaixa-se a transmissão!”, explicou. Rodrigues ressaltou, ainda, que o abacaxi local possui um fator decisivo para que seja comercializado com preços vantajosos. “O clima da nossa região é favorável e a safra é prolongada. O abacaxi daqui tem colheita na entressafra; ou seja: quando a produção de outras regiões está no fim é que começa a nossa.”, diz.

Além de Areião, outras comunidades itamarandibanas se destacam na produção de abacaxi, dentre elas: Contrato, Canjuru, Bom Jardim e Martins. O engenheiro agrônomo da Emater-MG do município, João Batista Araújo, tem acompanhado de perto a evolução da produção do fruto na região. Ele enfatiza que Itamarandiba possui condições climáticas e solo adequado para o cultivo da fruta. Tais fatores, segundo ele, são essenciais e fazem com que o abacaxi itamarandibano tenha algumas peculiaridades que o torna disputado no mercado. “O abacaxi produzido aqui é o da espécie Jupi. Com  massa firme, cor amarelo, muito doce e a safra não coincide com outras regiões produtoras do país, fazendo com que os agricultores consigam maior preço.”.

Ao destacar que a Prefeitura de Itamarandiba sempre esteve atenta aos interesses dos fruticultores do município, o secretário municipal de agricultura, Dirceu Pires, lembrou que sua pasta tem apoiado e incentivado a produção local, inclusive promovendo ações como o 1º Dia de Campo do Abacaxi. Realizado em meados de 2019, o evento abordou temas relevantes quanto a escolha e preparo do solo, conjunto de técnicas de cultivos recomendadas para exploração comercial do abacaxi, incluindo o controle das principais pragas e doenças. “É com grande alegria que recebemos a notícia da safra recorde de abacaxi no nosso município. Temos ciência que a região possui predicados para tal cultivo e por isso nunca deixamos de promover ações que ofertem oportunidades de diálogo e troca de experiências acerca da cultura do fruto.”, comentou..

Já o prefeito itamarandibano, Luiz Fernando Alves, ressaltou a importância da atividade na geração de renda e emprego no município.  De acordo com ele, Itamarandiba possui grandes produtores da fruta que utilizam boas práticas desde o plantio até a colheita e empregam mais de mil pessoas durante toda a cadeia de produção; nesta destaca-se a mão de obra feminina. “Sabemos que o investimento da tecnologia nas lavouras de abacaxi é fundamental para alcançar bons resultados na produção. Contudo, destaco o comprometimento dos fruticultores na geração de empregos para nossa população. São muitas famílias que trabalham no plantio, manejo, capina e proteção do fruto.”, reconheceu. 

 

Levantamentos da Secretaria Municipal de Agricultura, em parceria com a EMATER/MG, apontam que os fruticultores de Itamarandiba conseguem produzir abacaxi com alta qualidade com menos custos e maior renda; isso permite a exportação do fruto para grandes centros do Estado; garantindo assim geração de renda e emprego na região produtora.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Itamarandiba

Pagina 10 de 173

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da RegiãoDireito em Destaque: Pandemia e aluguel empresarial: O que fazer?