Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Médico Prof. Sebastião Gusmão fala sobre a Pandemia do Coronavírus

Atualmente nossa vida está pautada pela pandemia do coronavirus. Pandemia significa que uma doença infecciosa espalha-se por várias regiões do mundo. O coronavirus é um microorganismo que tem a capacidade de se reproduzir em grande velocidade e que pode acometer as vias respiratórias e os pulmões. A transmissão ocorre diretamente de indivíduo para indivíduo ou por meio de objetos contaminados por alguém portador do virus.

Coronavírus são  virus que determinam doenças em humanos e animais. No final de 2019, um novo coronavírus foi identificado como a causa de um conjunto de casos de pneumonia em Wuhan, cidade na China. Ele se espalhou rapidamente, resultando em uma epidemia em toda a China, seguida por um número crescente de casos em outros países do mundo até se configurar uma pandemia. Em fevereiro de 2020, a OMS (Organização Mundial da Saúde) denominou a doença Covid-19 (Coronavirus disease 2019), que significa doença de coronavírus 2019.

O coronavirus acomete as mucosas das vias respirarias determinando sintomas semelhantes aos da gripe: calafrios, febre, rinorreia, dores de garganta, dores musculares, dores de cabeça, tosse, fadigae sensação geral de desconforto. Quando atinge os pulmões causa um processo inflamatório que acomete os alvéolos, determinando catarro, febre e dificuldade respiratória. A doença pode se complicar com pneumonia bacteriana, tornando necessário internação e mesmo o uso de respirador mecânico. Este quadro grave tende a acometer preferencialmente os idosos e portadores de doenças crônicas.

Não existe vacina nem tratamento específico para esta virose, sendo  fundamental a prevenção. Como um indivíduo portador do virus (que na maioria dos casos não apresenta os sintomas de virose) o transmite diretamente para outro indivíduo ou indiretamente por meio de objetos que manipula, as medidas preventivas fundamentais consistem em isolamento (quarentena), higiene das mãos e da face (lavar com agua e sabão e uso do álcool em gel) e proteção das vias respiratórias (uso de máscaras e evitar tocar o rosto com as mãos). O isolamento social parece ser a melhor maneira para evitar a propagação descontrolada, como vimos nos países do hemisfério norte. Este isolamento deve ser o mais amplo possível e mandatório para os grupos de risco (idosos e portadores de doenças).

O isolamento social é complexo e exige atitudes políticas pautadas por evidências científicas. O combate à pandemia é questão de competência e não de ideologia. E quem mais tem competência para opinar neste assunto é a OMS. O Ministério da Saúde tem, em linhas gerais, procurado seguir as orientações da OMS.

No dia 20 de março, o Ministério da Saúde declarou que o Brasil já apresentava transmissão comunitária do novo coronavírus, o que significa que toda pessoa com febre e sintomas respiratórios como coriza, tosse e falta de ar se enquadra como um potencial caso suspeito de Covid-19.

A doença parece ter duas fases. Nos primeiros dias, ocorre coriza, febre, tosse e mal-estar. Nesta eventualidade deve-se ficar em casa por 14 dias e só procurar um hospital se o problema se agravar. Por volta do oitavo ou nono dia, pode ocorrer falta de ar e dificuldade para respirar. Assim, é preciso ficar atento à evolução dos sintomas. Quando ocorrer febre alta persistente e tosse acompanhada de desconforto respiratório, deve-se procurar atendimento médico imediato, principalmente quando se trata de grupo de risco.

Outra recomendação importante é fazer uso da vacina trivalente, que contém antígenos purificados e neutralizados de três tipos virais mais comuns. Ela é importante por dois motivos. Primeiro por evitar o processo gripal que pode ser confundido com a Covid -19 e exigir isolamento social. Segundo, por evitar uma doença que debilita o organismo, predispondo-o à infecção pelo coronavírus.

Em conclusão, as medidas preventivas são um ato de cidadania que protege a sua vida e a de outras pessoas. Pandemias passam. O importante é preservar o bem supremo, a vida.

 

Prof. Sebastião Gusmão

 

Avalie este item
(0 votos)
Projeto “Aperam Bem Maior” leva solidariedade a comunidades afetadas pelo coronavírus

Iniciativa reúne campanhas que vão desde a doação de produtos de primeira necessidade até o voluntariado

Em meio à crise, toda ajuda é bem-vinda! Com essa máxima, a Aperam acaba de lançar um novo projeto solidário que busca minimizar os impactos sociais causados pelo novo Coronavírus nas regiões de atuação da empresa no Vale do Aço e Vale do Jequitinhonha. Nomeado “Aperam Bem Maior”, o estímulo à participação ativa dos empregados na prevenção ao Covid-19, contribuindo com a arrecadação de recursos para atender as necessidades emergenciais da comunidade, além da geração e disponibilização de conteúdo cultural para o público e outras ações internas para motivar a solidariedade.

O projeto atuará em frentes distintas, direcionando esforços ao atendimento de instituições sociais, de saúde e até mesmo de empregados da empresa e seus familiares.  Queremos amenizar ao máximo e de uma forma ampla, dentro das nossas capacidades, as dificuldades causadas pelo coronavírus, para que as pessoas possam contribuir com aquilo que estiver ao alcance. Criando ainda novas formas de interação nas comunidades”, explica Venilson Vitorino, presidente da Fundação Aperam Acesita.

Antes mesmo de iniciar o projeto Aperam Bem Maior, a empresa, através da Fundação Aperam Acesita, já vinha atendendo necessidades emergenciais das comunidades onde está inserida, no Vale do Aço ou Vale do Jequitinhonha, participando de campanhas de doação de materiais de higiene pessoal e limpeza básica, assim como na doação de materiais de proteção individual.

Para Frederico Ayres, presidente da Aperam, “o mundo moderno passa por um desafio de proporções jamais vivenciado. Um período de grandes  mudanças e impactos. Somente com a união de esforços conseguiremos mudar a forma como o país vai superar essa crise. O nosso objetivo com o ‘Aperam Bem Maior’ é ser uma plataforma que ajude a somar essas iniciativas solidárias, uma verdadeira corrente do bem nas comunidades em que atuamos. Juntos somos mais fortes e resistentes como o nosso aço”, ressalta Ayres.

Para acompanhar as iniciativas e campanhas do projeto “Aperam Bem Maior” basta acompanhar as redes sociais da Aperam: Facebook, Instagram e Linkedin e Youtube @aperamnobrasil

Sobre a Aperam South America e BioEnergia

A Aperam South America é produtora integrada de aços planos inoxidáveis, elétricos e carbono. A partir de uma gestão baseada nos valores liderança, inovação e agilidade, a Aperam South America consolida-se como líder no mercado brasileiro em seu segmento. Sua planta industrial, localizada em Timóteo-MG, possui capacidade produtiva total de 900 mil toneladas de aço líquido por ano. Utiliza carvão vegetal produzido por sua subsidiária no Vale do Jequitinhonha: a Aperam BioEnergia. A BioEnergia produz e comercializa carvão vegetal, tecnologia, mudas e sementes, a partir de florestas renováveis de eucalipto em Minas Gerais. Desde 2011, integra o Grupo Aperam, segundo maior da Europa, composto de outras cinco plantas industriais na França e na Bélgica, cuja capacidade alcança 2,5 milhões de toneladas de placas de aço por ano.

Avalie este item
(0 votos)
Boletim diário do Coronavírus em Itamarandiba conta agora com 11 casos suspeitos

O Comitê Municipal de Prevenção e Contingenciamento de Saúde da Covid-19 torna público o Boletim Epidemiológico do dia 08/04/20, quarta-feira.

Itamarandiba/MG:
• Casos confirmados = 0 (zero)
• Casos suspeitos = 11 (onze)
• Casos descartados = 0 (zero)

Vale ressaltar que por determinações da Secretaria de Estado de Saúde agora TODOS os pacientes com febre mais sintomas gripais serão notificados como suspeitos, independentemente de terem tido ou não contato com pacientes sob suspeita, ou virem de cidades com casos confirmados.

Avalie este item
(0 votos)
Feirinha Especial é realizada na Praça dos Agricultores em Itamarandiba

Levando em consideração o delicado momento enfrentado em decorrência da pandemia do Coronavírus, a Secretaria Municipal de Agricultura, com apoio da Emater/MG e da Cooperafi, está realizando a Feirinha Especial da Agricultura Familiar e a Feira Virtual. 

Na manhã desta quarta-feira, 08 de abril, aconteceu a Feirinha Especial, onde vários produtores rurais de Itamarandiba puderam expor e vender seus produtos. Nossa reportagem foi até o local e comprovou a qualidade, variedade e preço justo.

Vale ressaltar que a Feira Especial, é exclusiva aos produtores rurais e contou com acesso controlado. 

Feira Virtual: Atente-se aos contatos dos feirantes participantes e peça seus produtos e receba em casa. 

  • Márcia = (38) 9.9957-8061
  • Ivanilde = (38) 9.9127-4659
  • Lafaiete = (38) 9.9722-6212
  • Maria do Rosário = (38) 9.9244-5708
  • Tida = (38) 9.9898-2145
  • Quim da Lada = (38) 9.9987-3359
  • Zé Geraldo = (38) 9.8804-2464
  • Nivaldo = (38) 9.9816-5684
  • Onofre = (38) 9.9930-9735
  • Eliana = (38) 9.9877-4233
  • Maria José = (38) 9.9817-4653
  • Maria da Glória = (38) 9.9870-5138
  • Wagner = (38) 9.9743-1086
  • Antônio = (38) 9.9726-5845
  • Edson = (38) 9.9967-4927
  • Maria do Carmo = (38) 9.9983-1994
  • Silvania = (38) 9.9954-4912
  • Samuel = (38) 9.9974-3352
  • Erildo = (38) 9.9746-0462
  • Francisco = (38) 9.9746-0462
  • Vicente = (38) 9.9821-2162
  • Jorge = (38) 9.9972-3136
  • Márcio = (38) 9. 9946-5611
  • Ivanilde = (38) 9.9727-4659
  • Luiz Helvécio = (38) 9.9987-6372
  • Francisco = (38) 9.9807-6654
  • Daniel = (38) 9.9966-2726
  • Cida = (38) 9.9971-2310

 

Avalie este item
(0 votos)
Nota de falecimento: Morre o médico Dr.João Jacques

No dia de hoje, 07 de abril, foi confirmado o falecimento do médico Dr. João Jacques, que lutava contra um câncer.

Dr. João Jacques, morava em Itamarandiba há mais de 22 anos, prestou serviço no Hospital Municipal Geraldo Ferreira Gandra, por mais de 16 anos, e na Clínica Harmonize trabalhou por mais de 08 anos.

Se tornou cidadão itamarandibano pelos relevantes serviços prestados a toda comunidade. Para ele, Itamarandiba era considerada como sua cidade natal, pelo vínculo de amizade e carinho com o povo da cidade.

Nascido em 01 de abril de 1947, o médico deixa esposa, 04 filhos, genro, noras e netos.

O corpo será velado em Itamarandiba, mas devido a pandemia do Coronavírus, o local não será divulgado pela nossa reportagem, para evitar aglomeração de pessoas.   

Avalie este item
(0 votos)
Caixa lança site e aplicativo para solicitar auxílio emergencial de R$ 600

A Caixa Econômica Federal disponibilizou nesta terça-feira (7) o site e o aplicativo por meio do qual informais, autônomos, desempregados e MEIs podem solicitar o auxílio emergencial de R$ 600.

O aplicativo deve ser usado pelos trabalhadores que forem Microempreendedores Individuais (MEIs), trabalhadores informais sem registro e contribuintes individuais do INSS. Aqueles que já recebem o Bolsa Família, ou que estão inscritos no Cadastro Único, não precisam se inscrever pelo aplicativo. O pagamento será feito automaticamente.

Os trabalhadores que não tiverem acesso à internet poderão fazer o cadastro nas agências da Caixa ou nas casas lotéricas.

A Caixa também disponibilizou o telefone 111 para tirar dúvidas dos trabalhadores sobre o auxílio emergencial. Não será possível se inscrever pelo telefone, apenas tirar dúvidas

 

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da RegiãoDireito em destaque: O patrão pode alterar o horário de trabalho do empregado sem sua permissão?