Moradora do bairro São Geraldo encontra vários escorpiões em sua residência, Vigilância Ambiental de Itamarandiba faz orientações essenciais para esse período do ano

Jan 16, 2020 Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Uma moradora da Rua Alvaci Carlos, bairro São Geraldo, em Itamarandiba, entrou em contato com a nossa reportagem para denunciar uma grande quantidade de escorpiões encontrados em sua residência.

A moradora acredita que os escorpiões podem está vindo da casa de um vizinho, já que no quintal há muito mato e matérias de construção, local propício para a reprodução dos escorpiões. 

Diante da situação, o caso foi levado até o conhecimento da Vigilância em Saúde Ambiental de Itamarandiba, que informou não ter recebido essa denúncia. Com isso, a moradora foi orientada para que procurasse a Vigilância Ambiental, podendo fazer a denúncia e ter sua identidade preservada. 

 

Vigilância em Saúde Ambiental orienta sobre prevenção contra escorpiões

 

Os escorpiões são aracnídeos da mesma classe das aranhas, carrapatos e ácaros, estão ao redor do mundo, há aproximadamente 1.500 espécies e sub espécies de escorpiões que estão divididas atualmente em 18 famílias.

A espécie Tityus serrulatus (escorpião-amarelo) muito encontrada na nossa cidade e vem expandindo devido a sua capacidade de adaptação ao ambiente urbano e à sua característica partenogenética (fêmea que gera filhotes sem o macho), este fato tem levado ao aumento na incidência dos acidentes com escorpião e ao aparecimento do animal em áreas antes livres de sua presença.

Os escorpiões possuem uma das taxas metabólicas mais baixas do reino animal, o que permite permanecer longos períodos sem se alimentar (até um ano). Ao final de uma refeição, os escorpiões podem também evitar se locomover, conservando com isso o máximo de energia.

Estamos na estação mais quente do ano, a época mais propicias para proliferação de mosquitos e animais peçonhentos, como escorpiões e aranhas.

Para o setor de Vigilância em Saúde Ambiental há sempre uma preocupação com o risco de aumento de acidentes com animais deste tipo no verão.

A melhor maneira de se evitar a presença dos animais peçonhentos PREVENÇÃO.

Como prevenir os acidentes por animais peçonhentos

- Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;

- Acondicionar lixo domiciliar em sacos plásticos ou outros recipientes apropriados e fechados, e entregá-los para o serviço de coleta. Não jogar lixo em terrenos baldios;

- Limpar terrenos baldios situados a cerca de dois metros (aceiro) das redondezas dos imóveis;

- Eliminar fontes de alimento para os escorpiões: baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados;

- Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo de escorpiões, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;

- Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado;

- Preservar os inimigos naturais dos escorpiões, especialmente aves de hábitos noturnos

- Evitar queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões;

- Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;

 - Manter fossas sépticas bem vedadas, para evitar a passagem de baratas e escorpiões;

 - Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos ou frestas.

- Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;

 - Reparar rodapés soltos e colocar telas nas janelas;

 - Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;

 - Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;

 - Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados.

 Controle químico funciona? Não.

O que fazer em caso de acidente?

Orientamos manter a vítima calma, evitando movimentos desnecessários, manter o membro acometido mais elevado em relação ao restante do corpo.

Lavar o local da picada com água e sabão; manter a vítima em repouso; não fazer garrote, não furar, não cortar, não queimar, não espremer, não fazer sucção no local da ferida e nem aplicar folhas, pó de café ou terra sobre ela para não provocar infecção; não ingerir bebida alcoólica, querosene, ou fumo.

Se possível, e caso não apresente risco de um novo acidente, o animal envolvido deve ser levado juntamente com a vítima ao local de atendimento, para facilitar a identificação do animal e tratamento.

Caso encontre um animal peçonhento, afaste-se com cuidado e evite assustá-lo ou tocá-lo, mesmo que pareça morto, e procure a Vigilância em Saúde Ambiental local para orientações.

A Vigilância em Saúde Ambiental inspeciona, orienta e realiza o trabalho preventivo, além de realizar a coleta de escorpiões vivos, em 2019 foram atendidas mais de 120 ocorrências

A Vigilância em Saúde Ambiental está localizada à Rua Coronel Gentil Fernandes, 108, Centro, telefone 38 3521 3188

Redação

O Vale Hoje - A mesma qualidade para diversas realidades!

Website.: www.ovalehoje.com.br E-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeCotidiano