Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Carbonita: Sergio Reis e Renato Teixeira são destaques no 17° Carboarte

Foi realizado o Programa Praça Viva de lançamento da programação do 17º Carboarte. O evento contou com um grande público que está à espera da maior festa cultural de Carbonita.

O 17°Carboarte terá uma programação diversificada entre os dias 01 à 04 de maio com apresentações teatrais, rua de lazer, alvorada, feira de artesanato, barraquinhas, oficinas, atrações musicais de artistas da cidade todas as noites, valorizando os artistas locais. Além dos shows imperdíveis de artistas consagrados como Sérgio Reis e Renato Teixeira “Amizade Sincera” e Vander Lee com o melhor da MPB; além dos grandes shows com Johny Marcos & Maurinho, com o melhor do sertanejo e forró, as bandas Super Som CIA e Expresso & Companhia cantando todos os ritmos do momento e ainda o Violeiro João Ormond e muito mais.

A cidade do Carboarte, já está em clima de festa, uma tradição que completa 17 anos de história, valorizando a cultura local e regional. “17º Carboarte. A gente se encontra aqui “

O evento tem a realização da Prefeitura Municipal de Carbonita, que espera de braços abertos um grande público para a maior festa cultural da cidade e região. 

 

Avalie este item
(0 votos)
Micro-ônibus envolve em acidente com animais na estrada que liga Itamarandiba à Carbonita

Na manhã desta terça-feira, 11/03, por volta das 05h30min, um acidente aconteceu na rodovia entre a cidade de Itamarandiba e Carbonita.
Segundo relatos, o micro-ônibus que saía de Itamarandiba sentido a cidade de Diamantina, transportava passageiros que fazem tratamento de saúde sendo muitos com dificuldades de locomoção.
Em certo momento dois cavalos apareceram na pista, devido à velocidade em que se encontrava o veículo, veio a se chocar com os animais. Um cavalo morreu na hora e o outro ficou com ferido.
A frente do lado direito do micro-ônibus ficou bastante danificada, os passageiros no momento do impacto caíram de seus bancos e muito assustados não tiveram condições de prosseguirem viajem e perderam suas consultas que estavam agendadas, uma vês que o microônibus sem condições de prosseguir teve que ser levado para oficina.
Horas depois do acidente, o motorista do veículo acompanhado de funcionários do DER, patrulharam a extensão da pista e recolheram vários animais a beira do asfalto, até o momento o proprietário dos animais não foi identificado.
 

Avalie este item
(0 votos)
Carbonita, Itamarandiba, Jequitinhonha, Itaobim e Medina são os municípios mais violentos da região

O Mapa da Violência 2013 – Mortes Matadas por Armas de Fogo informa que 36.792 pessoas foram assassinadas a tiros em 2010, no Brasil. O número é superior aos 36.624 assassinatos anotados em 2009 e mantém o país com uma taxa de 20,4 homicídios por 100 mil habitantes, a oitava pior marca entre 100 nações com estatísticas consideradas relativamente confiáveis sobre o assunto. No Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais, não é muito diferente. Os níveis considerados toleráveis pela ONU – Organização das Nações Unidas giram em torno de 10 homicídios por 100 mil. Em reportagem de Rosa Santos, no jornal Acontece Regional, de Capelinha, em 14/02, foi publicado um panorama das ocorrências de crimes diversos em cidades do Alto Jequitinhonha, de Minas Novas até Diamantina. A reportagem afirma que “a violência já não é um problema dos grandes centros e avança nos municípios do interior. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social – SEDS, em dados publicados em 7 de fevereiro passado, houve um aumento de ocorrências de homicídios, roubo, estupro e sequestro, em 2013, com 87.995 registros. Em 2012, houve 71.737 ocorrências, correspondendo a um aumento de 22% O Alto Jequitinhonha não escapou da bandidagem e na grande maioria das cidades as ocorrências aumentaram. E junto com a onda de violência cresce também a sensação de insegurança e reação da população. No dia 6 de fevereiro, moradores do bairro Maria Lúcia, em Capelinha, reagiram revoltados com dois assaltantes em uma farmácia. Eles foram perseguidos e um deles foi imobilizado por populares. A chegada da policia evitou um possível linchamento. Durante o assalto, aconteceu uma tentativa de homicídio. Um dos assaltantes atirou no proprietário da farmácia, mas os tiros mascaram. A polícia recuperou R$ 1.180,00 e um revólver calibre 22. Mesmo assim, Capelinha tem visto ocorrências criminosas diminuírem em relação aos anos anteriores”. ALTO JEQUITINHONHA No Alto Jequitinhonha, a cidade de Itamarandiba é uma das mais críticas, pois tem sido palco frequente de homicídios e tentativas de assassinatos. Itamarandiba registra um número crescente de homicídios. Em 2011, foram 3; em 2012 aconteceram 6; mas em 2013, foram 8 homicídios, ou 24,1 homicídios para 100 mil habitantes, taxa superior aos 23,5 do Rio de Janeiro. As tentativas de homicídios também cresceram de 16 para 20. A população se mobilizou. Além de passeatas e reivindicações por mais segurança foi realizada uma audiência pública, na Câmara Municipal, em outubro do ano passado. As cidades da região tiveram aumentado os registros de criminalidade violenta, entre 2012 e 2013. Capelinha teve 4 homicídios no ano passado, contra 2 em 2012. Porém, as tentativas de homicídios caíram de 17 para 9. Em Carbonita, os homicídios foram 3 , em 2007. Nos três anos seguintes só houve 2. Mas, pulou de 2, em 2012, para 5 em 2013, o que equivale a 54,6 por 100 mil habitantes, índice altíssimo, o maior do Vale do Jequitinhonha, quase três vezes a média do Brasil. Carbonita possui 9.148 habitantes. Em Minas Novas, foram 3 homicídios em 2012 e 4 em 2013. Em Turmalina, ficou estável com um homicídio em cada ano. Já os roubos variaram de uma cidade para outra. Os dados de 2012 e 2013 mostram o seguinte: Capelinha aumentou de 22 para 29 ocorrências. Turmalina também aumentou de 3 para 7 roubos. Em Itamarandiba, diminuiu de 30 para 26. O mesmo aconteceu em Minas Novas, registrando 16 ocorrências em 2012 e 11 no ano anterior. Já em Diamantina, houve um salto com 33 roubos em 2012 e 53 no ano passado, com crescimento de 62%. No estado, o aumento de roubo foi de 28,8%. O major Anderson Aguillar, que esteve no comando da 23ª Companhia Independente da Policia Militar, em Capelinha, destaca a ação de menores e o tráfico de drogas como principais fatores para o aumento dos índices de criminalidade na região. ” A droga é o fator número 1, o grande motivador dos crimes”, declara. Cidadãos e empresários estão investindo em equipamentos de segurança para se protegerem de ação dos bandidos. O empresário Alex Tomich, do setor de segurança em Capelinha, informa que sua empresa tem sido cada vez mais procurada.

Alguns municípios tiveram ocorrências diminuídas em 4 anos. Araçuaí, no Médio Jequitinhonha, teve a ocorrência de crimes violentos diminuída entre 2007 e 2010. A taxa de ocorrências de crimes violentos caiu de 91 para 31. Os homicídios caíram de 11 para 4. Porém, somente no mês de janeiro de 2013, aconteceram 3 homicídios. Itaobim também reduziu os indicadores de violência: de 121 para 65, entre 2007 e 2010, mas cometeu 11 homicídios em cada ano, de 2007 a 2010. É um indicador preocupante, pois sua população é de apenas 21.001 habitantes. O indicador é de 52,4 homicídios por 100 mil habitantes, comparável com Alagoas, o Estado mais violento do Brasil com 55,3 homicídios, O município de Medina teve uma redução de 77 para 41 crimes violentos, entre 2007 e 2010, mas aumentou o número de homicídios de 4, em 2007, para 8, em 2010, ou 38 homicídios por 100 mil habitantes, quase o dobro da média do Brasil, similar ao violento estado do Espirito Santo com indicador de 39,4. A população realizou uma Audiência Pública, em 24 de fevereiro, sob coordenação da Assembléia Legislativa de Minas. O vice-prefeito de Medina, Lucas Mendes, pediu mais investimentos do Governo do Estado na segurança do município. “Na semana passada, o governador Antonio Anastasia anunciou investimentos na área, mas ficou tudo na Região Metropolitana de Belo Horizonte, como se Minas Gerais acabasse ali. Para o Jequitinhonha, nada”, disse ele. Ao final da reunião representantes do Movimento pela Paz, formado por moradores da cidade, entregaram aos deputados documento com sugestões para melhoria da segurança na cidade. Entre eles, a instalação de mais uma vara judicial em Medina, novas viaturas, aumento do efetivo policial e instalação de um presídio federal na região. Na semana de 10 a 14 de fevereiro, os municípios de Padre Carvalho, Josenópolis, Lelivéldia-Berilo e Leme do Parado, na região da Barragem de Irapé, aconteceram vários assaltos a Agência de Correios e Postos de Gasolina. BAIXO JEQUITINHONHA No Baixo Jequitinhonha, aconteceu uma baixa queda da criminalidade, mas o município de Jequitinhonha se destaca como muito violento. Em Almenara, a SEDS registra que os crimes violentos caíram de 2007 para 2010, de 93 para 80 ocorrências. Os crimes violentos contra o patrimônio caíram de 65 para 60. De 2007 a 201, houve um homicídio em cada ano. No município de Jequitinhonha, no Baixo Jequitinhonha, nordeste de Minas, crimes violentos caíram de 43 para 13, em 4 anos. Crimes violentos contra o patrimônio decresceram de 23 para 4. ´Porém, o número de homicídios foi de 7 e 8 em 2007 e 2008. Em 2009, baixou para 6 homicídios, mas aumentou para 8 ocorrências, em 2010. Com uma população de 24.131 pessoas, Jequitinhonha tem uma alta taxa de violência com 33,15 homicídios por 100 mil habitantes. É uma das mais altas taxas do Brasil. A PMMG registra que as ocorrências de roubo estão ligados, em sua maioria, ao tráfico de drogas. Como em todas as regiões, o Batalhão de Polícia Militar de Almenara tem realizado operações constantes com a prisão de traficantes e apreensão de adolescentes, em várias cidades da microrregião. Como as cidades estão na fronteira com a Bahia, sempre que há um roubo os bandidos fogem para o estado vizinho para impedir a sua captura. A população de Mata Verde, Divisa Alegre, Salto da Divisa e Santo Antônio do Jacinto tem reclamado que “há fronteira para a Polícia agir, mas não há para os bandidos que atormentam a população”.
Fonte: Blog do banu
 

Avalie este item
(0 votos)
Projeto “Apicultura em rede no Vale”, da Fundação Aperam Acesita, visa contribuir para que o Vale do Jequitinhonha seja reconhecido como potencial polo de produção de mel

Onze projetos comunitários serão apoiados pelo Fundo Comunidade em Rede, entre 2014 e 2015, em municípios dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais e Bahia. Com perspectivas e focos diversos, os projetos terão como fio condutor a organização comunitária e o desenvolvimento de base.

Cada um dos projetos terá o apoio específico e acompanhamento de uma das organizações brasileiras filiadas à RedEAmérica, signatárias de convênio firmado com a Fundação Interamericana, dos Estados Unidos, para a constituição do Fundo Comunidade em Rede. A RedEAmérica reúne 70 fundações e institutos empresariais de onze países.
Quatro projetos serão implementados em Minas Gerais. O projeto “Apicultura em rede no Vale”, que tem a Fundação Aperam Acesita como signatária junto ao Fundo Comunidade em Rede, será desenvolvido nos municípios de Veredinha e Itamarandiba, objetivando contribuir para que o Vale do Jequitinhonha seja reconhecido como potencial polo de produção de mel. A mesma Fundação Aperam Acesita é signatária do projeto “Um Novo Tempo”, que será desenvolvido em Timóteo, visando contribuir para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários no bairro Novo Tempo.

Ainda em Minas Gerais, o projeto “Rede Comunitária em Ação (Recoa)”, tendo o Instituto Holcim como signatário, será desenvolvido nos bairros de Ferreiras, Teotônio Batista de Freitas, Magalhães e Romero de Carvalho, com o propósito de fortalecer a participação comunitária, por meio de ações coletivas a partir de objetivos comuns. E no mesmo estado, o Projeto “Três Marias em rede: capacitação e cidadania em foco” terá o Instituto Votorantim como signatário, com o objetivo de aumentar a capacidade de lideranças comunitárias e influenciarem positivamente o desenvolvimento da comunidade onde vivem, promovendo e facilitando o acesso da população a espaços de convivência e de lazer, no município de Três Marias.
Fonte: jornaldiadia com alterações
 

Avalie este item
(0 votos)
BAT-CAVERNA fará apresentação no Hemominas em Diamantina em prol de incentivar foliões a doações de sangue

A Fundação Hemominas de Diamantina está realizando mais uma campanha de solidariedade com o tema do Carnaval 2014 (DOE ALEGRIA ANTES MESMO DA FOLIA). A campanha estará sendo realizada até o dia 27 de fevereiro.
Durante a campanha, no dia 24/02, acontecerá uma breve apresentação da BAT-CAVERNA para animar os foliões, vale ressaltar que além da apresentação, os membros da BAT-CAVERNA, estarão na fundação para doarem sangue. No dia 25/02, haverá coleta noturna nos horários de 18h30m às 21h, na sede do Hemominas.
O objetivo da campanha é incentivar e conscientizar foliões para importância da doação de sangue, e nada melhor para o incentivo deste gesto, com a participação da Bat-Caverna que é um grupo carnavalesco tradicional da região.
O Hemoninas em Diamantina atende durante todo ano doadores de sangue, que queiram se solidarizar-se com o próximo, agende uma visita e doe sangue, para maiores informações ligue nos telefones, (38) 3532-1350 – Fax (38) 3532-1360.


Avalie este item
(0 votos)
Horário de verão termina à 0h deste domingo (16) e gera economia de R$ 405 milhões

O horário de verão, que termina à 0h do domingo (16), levou a uma redução da demanda por energia no horário de pico de consumo de 2.565 megawatts, informou nesta sexta-feira (14) o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). De acordo com o órgão, esse resultado representou uma economia de R$ 405 milhões.
Em nota, o ONS informou que essa economia se deveu a um menor uso de energia termelétrica (gerada por usinas movidas a combustível como óleo, gás, carvão e biomassa) entre outubro de 2013 e fevereiro de 2014, período em que vigorou o horário de verão. O valor de R$ 405 milhões é um pouco superior à meta de economia do governo para o período (R$ 400 milhões).
No ano passado, o horário de verão rendeu uma redução na demanda no horário de pico de 2.477 megawatts (MW), ou 4,5% do consumo, entre outubro de 2012 e fevereiro de 2013. Essa redução evitou um gasto de cerca de R$ 200 milhões a mais com as termelétricas no período.

Assim como agora, no verão 2012/2013 parte importante dos reservatórios do país também sofreu queda no volume de armazenamento de água devido à falta de chuva - principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste - e, por conta disso, as térmicas foram acionadas com mais intensidade. Só em 2013 o despacho das usinas termelétricas custou cerca de R$ 9,5 bilhões. Essa conta está sendo bancado pelo Tesouro, por enquanto. Mas deve ser repassada aos consumidores, em parcelas, até 2018.
A redução no consumo de energia durante o horário de verão, principalmente entre o início e o meio da tarde, quando ocorre o pico de demanda nesta época do ano, reduziu um pouco o acionamento das térmicas, que costumam ser mais caras que as hidrelétricas.
A nota informa que a redução de 2.565 MW na demanda no horário de pico do consumo representa cerca de 4% do consumo médio de energia nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Sul, onde vigorou o horário de verão - com exceção do estado do Tocantins.

“No caso do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, a redução equivale a aproximadamente 50% da carga no horário de ponta da cidade do Rio de Janeiro (6,4 milhões de habitantes), ou a duas vezes a carga no horário de ponta de Brasília (2,6 milhões de habitantes). No Sul, representa 75% da carga no horário de ponta de Curitiba (1,8 milhão de habitantes)”, diz a nota do ONS.

O estado que registrou a maior redução de demanda por energia no período foi São Paulo, com 1.027 MW. Em seguida estão Minas Gerais, com 319 MW, e o Rio de Janeiro, com 300 MW.

Com o fim do horário de verão à 0h deste domingo, estados da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal, terão que atrasar em uma hora seus relógios. O objetivo da medida é aproveitar os dias mais longos do verão, com mais tempo de luz solar, para economizar energia. Fonte: G1
 

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da Região