Notícias da Região
Avalie este item
(0 votos)
Centro de Especialidades Municipal comemora 01 ano de serviços prestados. Neste período, o espaço realizou aproximadamente 26 mil atendimentos

Há exatos 365 dias a população de Itamarandiba era contemplada com a inauguração do Centro de Especialidades Municipal (CEM). Espaço médico, implantado pela Prefeitura itamarandibana, que trouxe aos moradores da sede municipal, distritos e demais comunidades um atendimento preciso e instantâneo; facilitando assim a vida daqueles que muitas das vezes necessitavam recorrer a um atendimento particular ou especializado em outros municípios. 

Com equipe altamente qualificada composta por ginecologista, cardiologistas, endocrinologista, pediatra, pneumologista, perito, fonoaudióloga, psicólogo, nutricionista, fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, recepcionista e auxiliar de serviços gerais; o CEM realizou, neste 01 ano de existência, 25.905 atendimentos. Este expressivo número comprova a relevância do Centro na vida dos filhos de Itamarandiba. 
 
Na data comemorativa, a Secretaria Municipal de Saúde divulgou carta aberta demonstrando sua gratidão aos profissionais que ali trabalham e o balanço dos serviços prestados durante o primeiro ano de funcionamento; leia a carta na íntegra: 
 
E lá foi mais um ano de trabalho duro...
 
Vamos celebrar e agradecer a dedicação de toda a equipe do Centro de Especialidades Municipal de Itamarandiba, que trabalha com entusiasmo por um bem maior, a nossa saúde. Muita dedicação de todos e muitas realizações. Cuidar da saúde pública é como ter mais uma família; nos preocupamos com ela, cuidamos, e queremos vê-la melhorar cada vez mais.
Contamos com 02 técnicos de enfermagem, 01 enfermeira, 01 recepcionista, 01 auxiliar de serviços gerais, 05 fisioterapeutas, 01 psicóloga, 01 fonoaudióloga, 01 nutricionista, 02 cardiologistas, 01 endocrinologista, 01 ginecologista, 01 pediatra, 01 pneumologista e 01 perito, todos com o objetivo de melhorar cada vez mais a qualidade de vida da população.
Foram realizadas neste período 15.400 atendimentos de fisioterapia, 960 atendimentos de psicologia, 1.057 atendimentos de cardiologia, 1.820 atendimentos de neurologia, 1.321 atendimentos de pediatria, 2.234 atendimentos de ginecologia, 851 atendimentos de endocrinologia, 1.200 atendimentos de fonoaudiologia, 75 atendimentos de pneumologia, 285 atendimentos de nutricionista e 702 atendimentos de perícia médica, no total foram 25.905 atendimentos.
Nós sabemos muito bem o desafio que é manter uma equipe coesa, unida e vencedora. É um esforço conjunto que leva todos à vitória!
Parabéns a todos os profissionais que fazem parte deste sucesso. Que o empenho de todos continue trazendo bons resultados a todos nós!
Essa vitória é fruto de um trabalho árduo, e é uma mera consequência. Que esta filosofia possa continuar nos guiando durante muitos anos, e assim trazer mais conforto e comodidades para nossos pacientes que não precisam se deslocar do município para ter um atendimento especializado.
Itamarandiba, 25 de julho de 2019.
 
Antônio Afonso de Andrade
Secretário Municipal de Saúde
Avalie este item
(0 votos)
Aperam BioEnergia promove encontro de relacionamento com comunidade

A Aperam BioEnergia realizou mais uma edição do encontro da Rede de Relacionamento, ontem (24), em Minas Novas. O evento, que acontece duas vezes ao ano, reuniu 40 pessoas das comunidades de influência, da região do Vale do Jequitinhonha.  Há 12 anos a Rede de Relacionamento tem o objetivo de fortalecer canais de diálogo para o envolvimento das comunidades nas ações referentes ao manejo florestal. Ao todo, já aconteceram 18 encontros, realizados na empresa e nas comunidades rurais, com trocas de experiências e aprendizados. 

Na ocasião, o presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino, apresentou a estratégia da empresa no âmbito da responsabilidade social, os focos de atuação da fundação, os resultados dos projetos, a política de responsabilidade social, a sustentabilidade e o conceito do aço verde Aperam. Também foram apresentadas as parcerias para capacitação e os canais para cadastro de currículos. “O encontro é muito importante para nós. É uma porta aberta para a comunidade, pois temos a oportunidade de conhecer novas pessoas e trocar experiências”, ressalta Marivone Chaves, Líder da comunidade Mandingueiro.

Para finalizar o encontro, os presentes fizeram um passeio por Minas Novas, acompanhado pelo historiador Domingos Teodolino Mota, e conheceram mais sobre a cidade e sua história. A escolha do local para palco deste encontro, a cidade de Minas Novas, se deu pelo marcante cenário histórico da região, momento em que todas as lideranças dos cinco municípios de atuação da Empresa no Jequitinhonha tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da história, desde sua colonização até os dias atuais, e os marcos presentes na cidade, como casarões, igrejas e praças.

Sobre a Aperam South America

A Aperam South America é produtora integrada de aços planos inoxidáveis, elétricos e carbono. A partir de uma gestão baseada nos valores liderança, inovação e agilidade, consolida-se como líder no mercado brasileiro em seu segmento. Sua planta industrial, localizada em Timóteo-MG, possui capacidade produtiva total de 900 mil toneladas de aço líquido por ano. Utiliza carvão vegetal produzido por sua subsidiária no Vale do Jequitinhonha: a Aperam BioEnergia. A BioEnergia produz e comercializa carvão vegetal, tecnologia, mudas e sementes, a partir de florestas renováveis de eucalipto em Minas Gerais. Em sua trajetória de mais de 70 anos, a empresa possui amplo portfólio destinado aos segmentos automotivo, construção civil, energia, transportes, linha branca, utilidades domésticas e saúde. Desde 2011, integra o Grupo Aperam, segundo maior da Europa, composto de outras cinco plantas industriais na França e na Bélgica, cuja capacidade alcança 2,5 milhões de toneladas de placas de aço por ano.

Acesse o site e conheça mais sobre a Aperam: http://brasil.aperam.com/   

Avalie este item
(0 votos)

Na última terça-feira (16), tomou posse a nova Diretoria da Associação Comercial e Industrial de Itamarandiba – ACIAI e Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL para a gestão 2019-2021.

O empresário Thiago Andrade substituiu o empresário Vagno Gomes. Em discurso na solenidade de posse, o Presidente da ACIAI/CDL, agradeceu a Deus, seus familiares e a confiança por todos os associados. Afirmou que irá ter uma gestão inclusiva, participativa, produtiva e criativa. Discorreu sobre os projetos em curso e que terão continuidade como, por exemplo, a construção da sede da entidade e a necessidade da formação continuada dos comerciantes e comerciários e projetos como criação da comissão da Mulher e do Jovem Empreendedor, entre outros.

Estiveram presentes na solenidade de posse na Câmara Municipal, o Prefeito Municipal Luiz Fernando, o Procurador Geral do Município Dr. Pedro Afonso, o Presidente da Associação Comercial de Turmalina Sr.Lauro, o Presidente da OAB de Itamarandiba Dr.Wilton Brant, o Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais Sr.Valdivino, Comandante da PM em Itamarandiba Ten. Caldeira entre outras pessoas da sociedade.

 

Avalie este item
(0 votos)
ACPAC: Julho Verde, mês de prevenção do câncer de fígado e câncer ginecológico

O câncer de fígado pode ser de dois tipos: primário (que começa no próprio órgão) e secundário ou metastático (tem origem em outro órgão e, com a evolução da doença, atinge também o fígado). O tipo secundário é mais frequentemente decorrente de um tumor maligno no intestino grosso ou no reto.

Dentre os tumores iniciados no fígado, o mais comum é o hepatocarcinoma ou carcinoma hepatocelular. Agressivo, ocorre em mais de 80% dos casos. Existem também o colangiocarcinoma (originado nos dutos biliares do fígado), o angiossarcoma (câncer raro que se origina nos vasos sanguíneos do fígado) e o hepatoblastoma, tumor maligno raro que atinge recém-nascidos e crianças nos primeiros anos de vida.

Estatística

Número de mortes: 9.711, sendo 5.647 homens e 4.063 mulheres (2015 - Atlasde Mortalidade por Câncer)

O que aumenta o risco?

O tabagismo e a poluição ambiental da fumaça do tabaco influenciam no risco de desenvolvimento do câncer de fígado em geral. Em relação aos tipos específicos, outros fatores de risco são:

Hepatocarcinoma

Cerca de 50% dos pacientes com hepatocarcinoma apresentam cirrose hepática, doença grave associada ao alcoolismo ou à hepatite crônica. O causador predominante da hepatite crônica é a infecção pelos vírus da hepatite B ou C, também relacionados ao desenvolvimento de câncer de fígado.

Em áreas endêmicas, a esquistossomose (doença conhecida por barriga d’água) é considerada fator de risco. Atenção especial deve ser dada à ingestão de grãos e cereais. Quando armazenados em locais inadequados e úmidos, esses alimentos podem ser contaminados pelo fungo aspergillus flavus, que produz a aflatoxina, substância cancerígena.

Outro fator de risco importante é o excesso de gordura corporal. Verifique se seu peso está adequado.

Pessoas que trabalham na assistência e serviços gerais em estabelecimentos de saúde, mecânicos de veículos a motor, agricultores e trabalhadores da indústria de plásticos podem apresentar risco aumentado de desenvolvimento da doença devido à exposição a arsênio, cloreto de vinila, solventes, fumos de solda e bifenil policlorado.

Sinais e sintomas

Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, massa abdominal, distensão abdominal, perda de peso inexplicada, perda de apetite, mal-estar, icterícia (tonalidade amarelada na pele e nos olhos) e ascite (acúmulo de líquido no abdômen).

Detecção precoce

A detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar o tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento.

A detecção pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença.

Diagnóstico

Devido ao curto tempo de evolução do hepatocarcinoma, geralmente o tumor se encontra avançado quando é feito o diagnóstico. O tempo de duplicação do volume de massa é de, em média, quatro meses. Alguns exames vão ajudar o médico a confirmar o diagnóstico:

  • Tomografia computadorizada;
  • Raios X
  • Ressonância Nuclear Magnética (RNM);
  • Laparoscopia (investigação direta do interior do abdômen);

Tratamento

A remoção cirúrgica (ressecção) do câncer é o tratamento mais indicado quando o tumor está restrito a uma parte do fígado (tumor primário) e também nos tumores hepáticos metastáticos em que a lesão primária foi ressecada ou é passível de ser ressecada de maneira curativa.

Como prevenir?

No caso dos tumores primários do fígado, a prevenção está em:

  • Evitar o contágio pelos vírus das hepatites B e C;
  • Prevenir doenças metabólicas, como a esteatose (acúmulo de gordura no fígado) e diabetes;
  • Evitar o consumo de álcool;
  • Nunca usar esteroides anabolizantes (bombas);
  • Evitar lesões pré-malignas como os adenomas de fígado, muitos relacionados ao uso de anticoncepcionais orais;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Não consumir alimentos contaminadas por aflatoxina, substância produzida por dois tipos de fungos (bolores) encontrados em grãos e alguns vegetais, especialmente amendoim, milho e mandioca, se armazenados em condições inadequadas.
  • Não fumar e evitar o tabagismo passivo.

 

Câncer ginecológico

Existem cinco tipos de câncer ginecológicocâncer do endométrio, câncer deovário, câncer do colo do útero, câncer vaginal e câncer de vulva.

 

Câncer de ovário

O câncer de ovário é a segunda neoplasia ginecológica mais comum, atrás apenas do câncer do colo do útero. A quase totalidade das neoplasias ovarianas (95%) é derivada das células epiteliais (que revestem o ovário).

Estatística

Estimativa de casos novos: 6.150 (2018 - INCA)

Número de óbitos: 3.536 (2015 - Atlas de Mortalidade por Câncer)

O que aumenta o risco?

  • Idade - A incidência de carcinoma epitelial de ovário aumenta com o avanço da idade.
  • Fatores reprodutivos e hormonais - O risco de câncer de ovário é aumentado em mulheres com infertilidade e reduzido naquelas que tomam contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) ou que tiveram vários filhos.
  • A menarca (primeira menstruação) precoce (antes dos 12 anos) e a idade tardia na menopausa (após os 52 anos) podem estar associadas a risco aumentado de câncer de ovário. 
  • A infertilidade é fator de risco para o câncer de ovário;
  • História familiar - Histórico familiar de cânceres de ovário, colorretal e de mama está associado a risco aumentado de câncer de ovário.
  • Fatores genéticos - Mutações em genes, como BRCA1 e BRCA2, estão relacionadas a risco elevado de câncer de mama e de ovário. 
  • Obesidade - Parece aumentar o risco de desenvolvimento de câncer de ovário.

Sinais e sintomas

Na fase inicial, o câncer de ovário não causa sintomas específicos. À medida que o tumor cresce, pode causar pressão, dor ou inchaço no abdômen, pelve, costas ou pernas; náusea, indigestão, gases, prisão de ventre ou diarreia e cansaço constante.

Detecção precoce

A detecção pode ser feita por meio da investigação com exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos, de pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença (diagnóstico precoce), ou com o uso de exames periódicos em pessoas sem sinais ou sintomas (rastreamento) mas pertencentes a grupos com maior chance de ter a doença.  O diagnóstico precoce desse tipo de câncer é possível em apenas parte dos casos pois a maioria só apresenta sinais e sintomas em fases mais avançadas da doença.

Tratamento

A doença pode ser tratada com cirurgia ou quimioterapia. A escolha vai depender, principalmente, do tipo histológico do tumor, do estadiamento (extensão da doença), da idade e das condições clínicas da paciente e se o tumor é inicial ou recorrente.

Como prevenir?

  • As mulheres devem estar atentas aos fatores de risco e consultar regularmente o seu médico, principalmente a partir dos 50 anos;
  • Manter um peso saudável;
  • Evitar terapia de reposição hormonal após a menopausa;
  • Os contraceptivos orais também parecem reduzir o risco para mulheres com mutações BRCA1 e BRCA2, mas podem aumentar o risco de câncer de mama em mulheres sem estas mutações.

Obs: O exame preventivo ginecológico (Papanicolau) não detecta o câncer de ovário.

 

Câncer do colo do útero

O câncer do colo do útero, também chamado de câncer cervical, é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano - HPV (chamados de tipos oncogênicos).

A infecção genital por esse vírus é muito frequente e não causa doença na maioria das vezes. Entretanto, em alguns casos, ocorrem alterações celulares que podem evoluir para o câncer. Essas alterações são descobertas facilmente no exame preventivo (conhecido também como Papanicolaou ou Papanicolau), e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica desse exame.

Excetuando-se o câncer de pele não melanoma, é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina (atrás do câncer de mama e do colorretal), e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil.

Estatísticas

Estimativas de novos casos: 16.370 (2018 - INCA)
Número de mortes: 5.727 (2015 - SIM) 

O que aumenta o risco?

  • Início precoce da atividade sexual e múltiplos parceiros;
  • Tabagismo;
  • Uso prolongado de pílulas anticoncepcionais.

Sinais e sintomas

O câncer do colo do útero é uma doença de desenvolvimento lento, que pode não apresentar sintomas em fase inicial. Nos casos mais avançados, pode evoluir para sangramento vaginal intermitente (que vai e volta) ou após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada a queixas urinárias ou intestinais.

 A detecção precoce do câncer é uma estratégia para encontrar um tumor numa fase inicial e, assim, possibilitar maior chance de tratamento.

Exame preventivo

O exame preventivo do câncer do colo do útero (Papanicolau) é a principal estratégia para detectar lesões precursoras e fazer o diagnóstico precoce da doença. O exame pode ser feito em postos ou unidades de saúde da rede pública que tenham profissionais capacitados. Sua realização periódica permite reduzir a ocorrência e a mortalidade pela doença.

Quem deve fazer e quando fazer o exame preventivo?

Toda mulher que tem ou já teve vida sexual e que estão entre 25 e 64 anos de idade. Devido à longa evolução da doença, o exame pode ser realizado a cada três anos. Para maior segurança do diagnóstico, os dois primeiros exames devem ser anuais. Se os resultados estiverem normais, sua repetição só será necessária após três anos. (fonte: INCA).

Diagnóstico

  • Exame pélvico e história clínica: exame da vagina, colo do útero, útero, ovário e reto através de avaliação com espéculo,toque vaginal e toque retal;
  • Exame Preventivo (Papanicolau);
  • Colposcopia – exame que permite visualizar a vagina e o colo de útero com um aparelho chamado colposcópio
  • Biópsia – se células anormais são detectadas no exame preventivo (Papanicolau), é necessário realizar uma biópsia.

Tratamento

O tratamento para cada caso deve ser avaliado e orientado por um médico. Entre os tratamentos para o câncer do colo do útero estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. O tipo de tratamento dependerá do estadiamento (estágio de evolução) da doença, tamanho do tumor e fatores pessoais, como idade da paciente e desejo de ter filhos.

Se confirmada a presença de lesão precursora, ela poderá ser tratada a nível ambulatorial, por meio de uma eletrocirurgia.

Como se prevenir?

A prevenção primária do câncer do colo do útero está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo Papilomavírus Humano (HPV). Consequentemente, o uso de preservativos (camisinha masculina ou feminina) durante a relação sexual com penetração protege parcialmente do contágio pelo HPV, que também pode ocorrer pelo contato com a pele da vulva, região perineal, perianal e bolsa escrotal.

Vacinação contra o HPV

O Ministério da Saúde implementou no calendário vacinal, em 2014, a vacina tetravalente contra o HPV para meninas de 9 a 13 anos. A partir de 2017, o Ministério estendeu a vacina para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.  Essa vacina protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do HPV. Os dois primeiros causam verrugas genitais e os dois últimos são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero.

A vacinação e a realização do exame preventivo (Papanicolau) se complementam como ações de prevenção desse tipo de câncer. Mesmo as mulheres vacinadas, quando alcançarem a idade preconizada (a partir dos 25 anos), deverão fazer o exame preventivo periodicamente, pois a vacina não protege contra todos os tipos oncogênicos do HPV.

 

Câncer de endométrio

Câncer de endométrio é um dos tumores ginecológicos mais frequentes que acomete principalmente mulheres na pós-menopausa, depois dos 60 anos. 

O endométrio é um tecido altamente vascularizado que reveste a parede interna do útero.

Os carcinomas (80%) e os sarcomas (20%) constituem os tipos mais comuns do câncer de endométrio. Desde que diagnosticados precocemente, eles são curáveis em 90% dos casos.

O que aumenta o risco?

  • Obesidade e dieta rica em gordura animal;
  • Terapia de reposição hormonal de estrogênio sem associação de progesterona;
  • Síndrome dos ovários policísticos;
  • Anovulação crônica;
  • Nuliparidade (nunca ter dado à luz);
  • Idade precoce da primeira menstruação e menopausa tardia;
  • Uso de tamoxifeno no tratamento de tumores de mama;
  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes;
  • Histórico pessoal ou familiar de tumores produtores de estrogênio e de câncer de mamaováriocólon ou endométrio;
  • Hiperplasia endometrial, que pode ser benigna ou apresentar células atípicas classificadas como pré-malignas.

Sinais e Sintomas

  • Sangramento vaginal no período pós-menopausa ou, na pré-menopausa, com frequência e intensidade diferentes das menstruações habituais;
  • Dor ou sensação de peso na pélvis (bacia);
  • Corrimento vaginal branco ou amarelado (leucorreia) na pós-menopausa, que advém algum tempo antes do sangramento.

Diagnóstico

De maneira geral, o exame clínico só revela a presença de câncer de endométrio nas fases mais avançadas. No entanto, sangramentos uterovaginais, em especial na pós-menopausa, são indícios que exigem uma avaliação ginecológica completa. Para realizá-la, os seguintes exames de imagem são de fundamental importância: ultrassonografia, curetagem e histeroscopia.

Tratamento  

Nos estágios iniciais, o tratamento cirúrgico é o mais indicado. Em geral, ele inclui a retirada do útero, das trompas e dos ovários e também a remoção dos linfonodos, quando necessário. Conforme as características de cada caso, depois da cirurgia, a recomendação é introduzir tratamentos adjuvantes complementares como quimioterapia, braquiterapia, radioterapia ou hormonioterapia.

Como se prevenir?

  • Mantenha um peso saudável e seja fisicamente ativo;
  • Discuta os prós e contras da terapia hormonal com seu médico;
  • Faça tratamento para distúrbios do endométrio;
  • O exame de Papanicolau não é suficiente para detectar precocemente o câncer de endométrio. A prevenção exige um acompanhamento médico sistemático e periódico.

Cânceres de vagina e de vulva

Mais raros que os cânceres de útero e de ovário, os tumores de vagina e de vulva correspondem a 7% dos tumores ginecológicos. O controle e tratamento costumam ser mais fáceis, especialmente quando a doença é localizada e não se disseminou para outras partes. Porém, tanto o câncer de vagina como o de vulva são de difícil diagnóstico, uma vez que não apresentam sintomas característicos em fases iniciais.

O câncer de vagina pode ser uma doença primária ou secundária – a partir da disseminação de tumores localizados em outras regiões do corpo. Seu desenvolvimento é lento – levam-se anos entre o início e a primeira manifestação clínica. As causas são variadas, mas acredita-se que a infecção por HPV esteja entre as principais delas, além de fatores como histórico de lesões pré-cancerígenas, antecedentes de cânceres de colo de útero, múltiplos parceirossexuais, início da atividade sexual precocemente, mulheres imunossuprimidas, tabagistas e com mais de 60 anos.

O câncer de vulva, que também costuma levar anos para se desenvolver, é raro e acomete principalmente mulheres com idade entre 65 e 70 anos. Os fatores de risco ainda são desconhecidos, mas acredita-se que a infecção pelo HPV seja o principal. Outras causas podem estar relacionadas a ocorrência da doença, como mulheres imunossuprimidas, histórico de lesões vulvares pré-cancerigenas, lesões de pele envolvendo a vulva, pacientes que tiveram câncer na cervical, tabagismo e idade avançada.

Sinais e sintomas

Esses tipos de tumores não costumam apresentar sintomas marcantes, o que dificulta o diagnóstico precoce. Porém, as mulheres devem procurar orientação médica em caso de coceira ou sensação de queimação na vulva, sangramento não relacionado a menstruação, alterações na cor da pele dos grandes lábios, alterações na superfície da pele da vulva, nódulos, dor pélvica, dor ao urinar ou desconforto durante a relação sexual.

Diagnóstico

O médico deverá solicitar exames como papanicolau, radiografia do tórax, tomografia computadorizada, ressonância magnética, colposcopia e biopsia da região.

Como prevenir câncer de vagina e de vulva?

  • Uso de preservativos (proteção contra HPV);
  • Vacina contra HPV;
  • Não fumar;
  • Tratar condições pré-canceríginas;
  • Realizar exame Papanicolau e exame pélvico

 

Referencias

http://www.oncoguia.org.br/conteudo/como-prevenir-o-cancer-de-vagina/8278/964/

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/cancer-de-endometrio/

Avalie este item
(0 votos)

Fato muito corriqueiro na vida das pessoas e que gera muita confusão, brigas e inimizades, especialmente entre familiares, ocorre quando alguém empresta seu nome para realização de um compromisso, em geral uma dívida e, a pessoa que solicitou o favor não honra o compromisso de quitação.

Quem já emprestou seu cartão de crédito, seu talão de cheques, sabe muito bem a dor de cabeça causada quando a pessoa em que foi depositada sua confiança não cumpre com a palavra e deixa o “abacaxi” para você descascar.

Além de toda a sorte de descontentamento e transtornos naturais da situação, como nome negativado, cobranças e constrangimentos, a questão em alguns casos costuma culminar em inimizades e brigas. Mas, nesse caso, como proceder?

A boa noticia é que nos casos em que o compromisso feito em nome próprio em favor de terceiros tenha ocorrido de forma fraudulenta (furto de cartão de crédito, aposição de assinatura falsa em titulo de crédito, etc...) é possível acionar o Poder Judiciário para cancelar a dívida.

A má noticia é que não ocorrendo fraude qualquer que seja o valor do negócio jurídico, a prova da combinação terá que ser realizada por documento escrito. Dito de outro modo, para que exista a prova de qualquer negócio jurídico não se admite, via de regra, a prova exclusivamente testemunhal, embora existam juízes que entendem de outro modo.

Então, sempre que houver a necessidade de emprestar seu nome para um amigo ou um familiar, especialmente quando se tratar de uma dívida, documente a situação através de um contrato particular, um termo de confissão de divida ou através de qualquer outro meio igualmente idôneo.

Então um recado para quem procura uma solução mágica para resolver o problema: isso não existe.

Se não quer ter problemas, não empreste o seu nome para outra pessoa, não importa para o que for. Agindo assim você poupa dinheiro, inimizades, brigas e dores de cabeça.

Mas a melhor dica é: sempre que possível consulte um advogado.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Avalie este item
(0 votos)

Na hora de escolher uma clínica ou profissional para cuidar da saúde bucal da sua família, busque os mais preparados e qualificados. O grupo Qualidade em Saúde reúne especialistas nas diversas áreas da odontologia, que compartilham os mais rígidos padrões de excelência para atender você.

O grupo Qualidade em Saúde está transformando a vida de dentistas, pacientes e comunidades. Em mais de 150 cidades, 18 estados + Distrito Federal, com aproximadamente 1000 unidades em todo Brasil. Um Movimento Social pelo acesso a saúde bucal. Um Movimento Empreendedor pela alta qualidade da odontologia.

Em Itamarandiba, a Clínica Odontológica Karine Chaves, atua há mais de 13 anos com prestação de serviço à sociedade, com excelência em saúde bucal, e agora faz parte do Grupo Qualidade em Saúde.

Tal excelência tem sido reconhecida pela população, demonstrada pelos prêmios recebidos como melhores do ano desde a sua fundação.

 

 

{{galo}} {{face}} {{zero}}
HomeNotícias da RegiãoHospital de Itamarandiba recebe visita de provedores e diretores de hospitais da região e se destaca por possuir UCP – Unidade de Cuidados Prolongados