Cotidiano
Avalie este item
(0 votos)

A Polícia Militar Rodoviária realizou uma blitz de trânsito, na MG 117 – Km 205, e apreendeu um homem, natural da cidade de Coluna, o qual conduzia um veículo que foi roubado em 2010. Além de o veículo ser roubado, o Certificado de Registro de Veículo – CRV era falso, contendo uma placa oriunda de outro veículo.

Como se não bastasse, segundo a polícia o motorista estava realizando manobras perigosas, colocando em risco a própria vida e de quem trafegava pelo local. Junto ao motorista, havia ainda um certificado de registro de arma de fogo de outra pessoa e uma toca ninja. Ele foi preso em flagrante, entretanto ele está solto e respondendo inquérito por receptação, falsidade documental e direção perigosa.

A Polícia Militar Rodoviária tem realizado muitos trabalhos de blitz pela região e tem havido muita apreensão de muitas motos irregulares, roubadas e com chassi raspado. Todas essas ações visam minimizar essa onda de crimes que tem ocorrido em Itamarandiba e região.

A Polícia Civil e Militar também tem realizado várias operações em conjunto nesse sentido. O Delegado Dr. José Olegário relatou as dificuldades e o êxito no combate a criminalidade em Itamarandiba e Carbonita. “Pegamos várias motos com o chassi raspado, adulterado, motos de leilão que não deveriam estar trafegando e estão trafegando, estão sendo vendidas por um monte de safados e pilantras, que prestam desserviços a sociedade de Itamarandiba e Carbonita. A gente sempre compara com imbecis, ordinários, covardes que perpetuam o crime, que vendem e compram por quatro vezes mais barato, aproveitam do produto ser oriundo de crime, pagam totalmente fora do preço de mercado, e ficam aí pelas ruas a fora desfilando com carro roubado, cujas as vítimas estão mortas ou chorando, pois lutaram com tanto sacrifício para conquistarem”. Disse o Delegado. 

O delegado também ressaltou que a Polícia Civil conta com ajuda de ex-policiais e pessoas da sociedade e tem feito o que é possível para minimizar essa onda de crimes que tem assolado Itamarandiba e Carbonita. Pediu o apoio da sociedade de bem, pois do contrario não irão vencer essa luta contra a criminalidade. Disse ainda do baixo número de efetivo policial e mais poucos ainda os que são desejosos em fazerem um trabalho extra de dia e de noite como eles têm feito.
 

Avalie este item
(0 votos)

Na noite do dia 20 de outubro, Adão, 39 anos, faleceu tragicamente. Segundo o inquérito, o trabalhador sofreu uma tentativa de roubo da moto, na qual ele trafegava em direção ao trabalho. Assim que Adão percebeu o assalto, ele tentou fugir e foi atingido por um disparo de arma de fogo, o qual entrou em suas costas e atingiu pulmão e coração. Assim, o nome cometido pelos criminosos foi latrocínio, isto é, roubo seguido de morte, com pena de 20 a 30 anos de reclusão.

No que diz respeito ao trabalho da Polícia Civil de Itamarandiba, o crime que tirou a vida de Adão Ailton Pereira já está resolvido. Embora os nomes não tenham sido divulgados, constatou-se que os autores são um adulto e dois adolescentes. O inquérito policial está sendo enviado à justiça para as demais deliberações por parte do Ministério Público e do Juiz de Direito.

Veja matérias relacionadas a baixo: 

http://itamarandibahoje.com.br/cotidiano/noticia/urgente-adao-a-pereira-vitima-de-acidente-na-noite-anterior-sofreu-um-tiro-pelas-costas-antes-de-se-envolver-em-acidente

itamarandibahoje.com.br/cotidiano/noticia/acidente-deixa-vitima-fatal-no-bairro-sao-geraldo-em-itamarandiba 
 

Avalie este item
(0 votos)

O problema constrange a população, que espera das autoridades locais uma solução definitiva

 


A COPANOR é uma empresa subsidiária da COPASA, que presta serviços de abastecimento de água e tratamento de esgoto em comunidades rurais das regiões norte e nordeste de Minas Gerais. Em Itamarandiba presta os serviços nos distritos do município. Entretanto, os moradores de Padre João Afonso têm sofrido com o descaso da empresa, enfrentando problemas como esgoto a céu aberto e retornando nas caixas de esgoto das casas na localidade.

Esse problema já vem ocorrendo há, aproximadamente, 30 dias e, com a chegada das chuvas, o problema se agrava ainda mais. Os moradores da localidade procuraram nossa reportagem e denunciaram a irresponsabilidade da empresa que está cobrando por um serviço que não executa com a devida qualidade e eficiência.

“O problema é o odor, mau cheiro que afeta todas as famílias que vivem na localidade, causando doenças em nossas crianças, que ficam com muita dor de cabeça e febre. Pedimos para que alguém olhe por nós, pois estamos sem saber o que fazer”, disse Sr. Antônio, morador de Padre João Afonso.

No distrito residem dois senhores, que não conseguem sair de casa pelo fato do esgoto tomar conta de toda a rua onde moram. Criações, como galinhas, gato e cachorro, ficam em meio ao esgoto a céu aberto.

Segundo os moradores Vanderlei e Antônio, que ligaram para a sede da COPANOR em Diamantina, a resposta para essa situação foi que eles procurassem as autoridades da cidade para devidas providências e os orientaram a fazer o Boletim de Ocorrência. Entretanto, para os moradores a resposta da COPANOR não foi satisfatória. A redação do Jornal O Vale Hoje, entrou em contato com a empresa e aguarda seu posicionamento.

A cobrança da taxa de tratamento do esgoto está sendo realizada, mas segundo moradores, o serviço está sendo mal prestado e diversos problemas foram identificados. A empresa fez, por exemplo, a canalização da rede de esgoto e a direcionou para o Rio Itamarandiba. Com isso, as chuvas aumentaram o nível do rio e a água volta juntamente com o esgoto para as ruas, afetando diretamente algumas residências. Os moradores continuam pagando suas contas da COPANOR, e continua a ser cobrada a taxa de esgoto, mesmo sem os moradores receberem um serviço minimamente satisfatório.

Os moradores já procuraram a empresa e nada foi resolvido. Diante da situação, foram feitos dois abaixo-assinados, que foram entregues ao Ministério Público para devidas providências. Os moradores também pediram a intercessão do Prefeito Municipal para que cobre da COPANOR a resolução das questões apresentadas. “Já liguei para todos os representantes da COPANOR e vou cobrar insistentemente até haver uma solução definitiva para este problema. Não aceito que essa empresa deixe nossa população tão desamparada, como tem feito nos últimos anos. O descaso deles é enorme, e devemos começar com uma lei municipal que puna a empresa pelos serviços mal feitos e irregularidades praticadas por tal empresa. Para isso, conto com todos os vereadores para que essa punição se torne realidade”. Disse o Prefeito Erildo Gomes.
 

Avalie este item
(0 votos)

Uma forte tempestade atingiu a comunidade de Arião, na zona rural de Itamarandiba, próximo ao distrito de Contrato, na tarde de domingo, 9 de novembro.Nossa reportagem esteve no local e pode presenciar a situação caótica que a comunidade ainda se encontrava.

Segundo os moradores, a chuva veio com fortes ventos e muito granizo, causando danos nas plantações de eucalipto, abacaxi e de melancia, que ficaram completamente destruídas. As criações de animais também sofreram, e segundo relato de um popular morador, as galinhas de seu terreiro foram arremessadas pelos ventos. Pudemos constatar que algumas casas foram destelhadas e/ou danificadas, e um galpão, onde se guardava materiais agrícolas, desmoronou.

 

 

A tempestade de ventos deixou a população local muito assustada, pois segundo eles, chuva como essa jamais foi vista na região.

Os prejuízos não pararam por aí. A queda de 8 (oito) postes que compõem as 2 (duas) linhas de alimentação elétrica da cidade de Itamarandiba, trouxe transtornos por 24 horas na cidade e deixou a população às escuras por toda noite de domingo.

A empresa IMOBLUZ, terceirizada da CEMIG, esteve na região fazendo a recuperação das linhas de transmissão durante todo dia com uma equipe de mais de 30 pessoas e 6 veículos. A Prefeitura Municipal deixou a disposição tratores para arrastar postes que os caminhões não conseguiram levar, uma vez que 2 destes veículos ficaram atolados por horas, e a equipe que reestabelecia a rede elétrica teve que prosseguir ao local a pé.

Durante o dia 10 de novembro, o comércio local acumulou perdas e prejuízos, pois, aqueles que não contavam com geradores de energia, viram seus estoques de alimentos perecíveis perderem por falta de locais apropriados para refrigeração.

Vários serviços foram prejudicados, como açougues, padarias, sorveterias, órgãos públicos e banco. Quem precisou pagar contas ou fazer operações bancárias teve que aguardar até as 17h, horário em que a energia foi restabelecida em todo município itamarandibano.

O início das chuvas já trazem preocupação redobrada para toda a população, segundo informações meteorológicas, os meses de Novembro e de Dezembro receberão um acumulado de chuvas que não vieram ao longo do ano. Aconselhamos a população a se precaverem, tirando enxurradas que passam próximos de suas residências e também alertando as autoridades locais de possíveis problemas estruturais de ruas e/ou saídas da rede pluvial.